O Sindicato começa a receber os pedidos de conciliação na Comissão de Conciliação Voluntária (CCV) de 7ª e 8ª horas do Banco do Brasil a partir das 9h desta quinta-feira, 8 de agosto, em sua sede, na Rua Tamoios, 611, no centro de Belo Horizonte.

Para aderir à CCV, o bancário deve entregar o formulário disponibilizado abaixo preenchido em três vias, juntamente com cópia de documento de identidade. No ato da entrega do pedido, o funcionário deverá apresentar o documento de identificação com foto.

O Sindicato recomenda também a entrega de cópia do histórico de comissões exercidas, que poderá subsidiar o funcionário, no dia da sessão, nos cálculos dos valores que ele receberia em uma possível demanda judicial. O histórico de comissões pode ser acessado no SISBB, aplicativos ARH ou Pessoal.

Os protocolos feitos na Sede do Sindicato deverão ser individuais e protocolados pelo próprio demandante. Não serão aceitos pedidos de terceiros, exceto através de procuração pública registrada em cartório, nem pedidos sem a cópia do documento de identidade.

Os bancários que não trabalham em Belo Horizonte poderão enviar duas vias do formulário e cópia do documento de identidade via Correios, através de carta registrada ou Sedex com aviso de recebimento, que servirá como protocolo de entrega. As cartas deverão conter a solicitação de apenas um bancário ou bancária.

O público alvo da CCV é composto por quem, nos últimos cinco anos, exerceu as seguintes funções:
4805 Analista A em UA;
4860 Analista B em UA;
4808 Analista Financeiro em UA;
4830 Analista em Central de Atendimento;
4935 Assistente A em UA;
4960 Assistente B em UA;
4940 Assistente A em UN;
4942 Assistente A em UN;
4965 Assistente B em UN;
4969 Auxiliar Administrativo;
4915 Assessor Júnior UE;
4855 Analista B UT;
4930 Assistente A UT;
4925 Assistente A UE.

O interesse pela conciliação deve partir do bancário, com entrega do pedido ao Sindicato que o encaminhará ao Banco do Brasil. A CCV será composta por integrantes indicados pela entidade e pelo banco e as sessões serão realizadas na sede do Sindicato. Para o funcionário do BB e diretor do Sindicato, Wagner Nascimento, “a decisão de aceitar ou não o acordo proposto pelo banco é individual e o Sindicato subsidiará os bancários com todas as informações necessárias para que façam a escolha de forma tranquila”.

 

 

 

Compartilhe: