A partir do dia 23 de maio, trabalhadoras e trabalhadores que se desligaram do Itaú poderão requerer a Comissão de Conciliação Voluntária (CCV) para realizar acordo com o banco. O estabelecimento da CCV foi aprovado pelos bancários em Assembleia realizada no dia 12 de dezembro de 2018 na sede do Sindicato.

A Comissão prevista no Acordo Coletivo de Trabalho aprovado englobará toda a holding Itaú Unibanco. Podem pleitear o acordo aqueles que saíram por pedido de demissão, por dispensa sem justa causa e por dispensa com acordo entre as partes, em até dois anos da data de desligamento do banco.

A adesão à CCV não cria qualquer obrigatoriedade para o funcionário, que pode, democrática e voluntariamente, decidir pela aceitação ou não daquilo que for oferecido pelo banco.

Bancárias e bancários podem solicitar ao Sindicato a abertura da negociação e todas as mesas devem ser resolvidas, em média, no período de 30 dias. Para abrir a pasta de negociação, o bancário deve imprimir e preencher 3 vias do Termo de Reivindicação, trazer cópia do RG ou CNH, Carteira de Trabalho e TRCT (Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho).

Os bancários que não puderem comparecer ao Sindicato devem encaminhar a documentação completa via Correios (Sedex 10) para o Departamento do Jurídico da entidade.

Durante a negociação, os funcionários desligados contarão com orientação do Sindicato.

Para tirar dúvidas, o bancário pode comparecer ao Sindicato no horário de 9h às 11h (terças, quartas e sextas-feiras) ou de 16h às 18h (quintas-feiras).

O Sindicato alerta que é fundamental que bancárias e bancários tenham ciência de que os acordos fechados na Comissão de Conciliação Voluntária representam a quitação total do contrato de trabalho. Isto significa a quitação de qualquer ação judicial em curso e também que não haverá possibilidade de demandas judiciais posteriores.

 

Compartilhe: