“Só termina quando acaba”. Esse foi o lema da reunião, realizada no sábado, 14 de novembro, entre a Comissão Executiva dos Empregados da CAIXA (CEE/Caixa) e líderes de comissões de aprovados no concurso público realizado no ano passado. O encontro ocorreu na sede da Fenae, em Brasília, e discutiu maneiras de intensificar a luta por mais contratações no banco. O resultado da Campanha Nacional 2015 e a organização do movimento da categoria também estiverem na pauta.

Os presentes reafirmaram o compromisso de luta pela contratação urgente de mais empregados. Foi lembrado que a sobrecarga de trabalho é um problema enfrentado nas unidades de todo o país e que cresce o adoecimento entre empregadas e empregados. Ao mesmo tempo, cerca de 30 mil concursados aguardam convocação.

Os representantes dos empregados também debateram sobre as exaustivas negociações realizadas durante a Campanha Nacional 2015 e garantiram que a mobilização continua. Para isso, os trabalhadores afirmaram que irão às ruas e buscarão todos os instrumentos disponíveis, como os tribunais, o Ministério Público e o Congresso Nacional.

Abaixo-assinado: objetivo de 100 mil assinaturas

Uma das ações definidas na reunião deste sábado foi ampliar a coleta de apoio ao abaixo-assinado que cobra mais empregados para o banco. Até o momento, cerca de 20.500 assinaturas já chegaram à Fenae. O objetivo é chegar às 100 mil até o final de janeiro de 2016.

Os participantes do encontro afirmaram que é fundamental a união entre empregados, concursados e a sociedade. A luta por mais contratações se soma também ao combate a iniciativas como o PLS 555/2015, que ameaça a CAIXA 100% pública, e o PLC 30/2015, que permite a terceirização da atividade fim das empresas.

Avaliação dos concursados

Para André Pinheiro, um dos líderes dos concursados, aprovado para o polo Taguatinga (DF), o encontro com a Comissão Executiva foi muito importante. “Há interesse de todas as partes, e o encontro serve para alinhar e fortalecer as ações”, avaliou. Já em relação ao objetivo de chegar às 100 mil assinaturas em apoio à retomada das contratações, ele assegurou: “estamos empenhados em buscar esse apoio. Agora, temos uma estratégia mais definida”.

Alerta da CEE/Caixa

A CEE/Caixa advertiu os aprovados no concurso de 2014 para que tenham cautela com advogados que prometem convocação por meio de decisão judicial. Na avaliação da Comissão, o caminho do Ministério Público do Trabalho (MPT), que surgiu no início deste mês, é o melhor a ser seguido para evitar que seja criada jurisprudência negativa para o caso.

#MaisEmpregadosJá

A CAIXA tem hoje menos de 98 mil trabalhadores. No final de 2014, porém, eram mais de 101 mil. Quando o ACT 2014/2015 foi assinado e o banco se comprometeu a contratar mais 2 mil empregados, imaginou-se que o total chegaria a pelo menos 103 mil. Porém, com a realização do Plano de Apoio à Aposentadoria (PAA) neste ano, por meio do qual mais de 3.200 deixaram o banco, o que ocorreu foi uma redução dos postos de trabalho.

No dia 5 de novembro, durante audiência com representantes dos empregados e da CAIXA, o procurador Carlos Eduardo Brisolla, da Procuradoria Regional do Trabalho da 10ª Região, concedeu prazo de 20 dias para que o banco apresente um cronograma de contratação dos aprovados ou um estudo que dimensione as admissões a serem feitas até dezembro deste ano, como prevê a cláusula 50 do ACT 2014/2015, ou até junho de 2016, quando termina a validade do concurso.

Em 2014, a CAIXA realizou um dos maiores concursos públicos da história. Foram quase 1,2 milhão de inscritos, dos quais 32.879 foram aprovados. Até o momento, apenas 3.182 foram convocados (9,67% do total) e apenas 2.482 admitidos (7,54% do total). Neste ano não houve uma convocação sequer em fevereiro, março, julho, agosto e setembro.

O texto do abaixo-assinado e as artes do material de divulgação da campanha por mais empregados estão disponíveis no endereço eletrônico www.fenae.org.br/maisempregadosja.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Fenae

Compartilhe: