Crédito: Seeb São Paulo

A Chapa 1 foi a grande vencedora da eleição do Sindicato dos Bancários de São Paulo para a gestão 2014/2017. Encabeçada pela atual presidenta da entidade, Juvandia Moreira, a Chapa 1, apoiada pelo Sindicato e pela Contraf-CUT e pela esmagadora maioria dos sindicatos e federações de todo país, obteve 23.159 votos válidos (82,11%) enquanto a Chapa 2, ligada ao Conlutas, recebeu 4.746 (16,8%), 539 foram nulos e 297 em branco.

“Agradeço o voto de confiança de todos os bancários que acreditam e se identificam com nossa gestão. Esse expressivo resultado nos dá a certeza de que contamos com o apoio da categoria para continuar nossa luta ao lado dos empregados por melhores condições de trabalho e por uma sociedade cada vez mais justa e igualitária”, afirmou a presidenta reeleita Juvandia Moreira.” Também vamos seguir na atuação do Sindicato Cidadão, por mobilidade urbana, mais segurança e outras questões que interferem diretamente na qualidade de vida do bancário e de seus familiares”, destacou.

A apuração, conduzida pelo presidente da Fetec-CUT/SP, Luiz Cesar de Freitas, o Alemão, começou por volta das 20h e só foi concluída seis horas depois com comemoração na Quadra dos Bancários. Foram coletados 28.741 votos de bancários sindicalizados entre os dias 25 e 28 de março em São Paulo, Osasco e mais 15 municípios que integram a base.

São Paulo a Salvador

Para permitir que todos os trabalhadores exercessem seu direito democrático de participar da eleição do Sindicato, foram percorridos milhares de quilômetros durante os quatro dias de votação. Se consideradas apenas as idas e voltas de uma urna entre São Paulo e as cidades de Carapicuíba, São Lourenço da Serra, Caucaia do Alto e Pirapora do Bom Jesus nesse período, foram percorridos 1,6 mil quilômetros – quase a distância entre a capital paulista a Salvador.

Tanto esforço combinado à providencial alteração no estatuto, antecipando o pleito para que não coincidisse com o período de Copa do Munda da Fifa, resultou no expressivo comparecimento dos trabalhadores às urnas. Votos assinalados por escriturários, analistas, assistentes, caixas e gerentes de diversos bancos. Além disso, de forma inédita os bancários com deficiência visual puderam votar por meio de cédula na linguagem braille.

Para o presidente da CUT, o bancário Vagner Freitas, a categoria deu mais uma demonstração de força. “Esse senso de responsabilidade de ir as urnas e decidir pelo que considera melhor para a condução das lutas é uma marca dos bancários.”

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT com Seeb São Paulo

 

 

 

Compartilhe: