Foto: Jailton Garcia - Contraf-CUT

Foto: Jailton Garcia – Contraf-CUT

Em reunião realizada nesta quarta-feira, 26, na sede do Bradesco, em Osasco, a Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco cobrou do banco soluções para os problemas decorrentes da incorporação do HSBC. No período da manhã, dirigentes sindicais de vários estados brasileiros, bancários do HSBC, do Bradesco e de outros bancos que também sofreram incorporações se reuniram, na sede da Contraf-CUT, para debater e trocar experiências sobre os problemas gerados pelo processo de aquisição feito pelo Bradesco.

Após 5 milhões de contas-correntes do banco inglês terem migrado para o Bradesco, muitos problemas estão ficando sem respostas. As principais dificuldades enfrentadas pelos funcionários abordadas na ocasião foram: a questão sobre a abertura das agências nos finais de semana, as duas horas-extras que estão sendo realizadas pelos bancários diariamente, o horário estendido das 9h às 17h; a cobrança das metas, a questão sobre os planos de saúde, tanto dos ativos, como dos aposentados, dentre outras.

Os representantes dos bancários cobraram respostas do banco e destacaram que os trabalhadores estão preocupados com a ameaça de perda de direitos.

Além dos problemas com os funcionários de diversas regiões do país, os clientes também vêm reclamando de diversas dificuldades enfrentadas com suas contas correntes.

Horário diferenciado em Belo Horizonte

Diante desta situação que já é grave, o representante do Sindicato na mesa, Geraldo Rodrigues, manifestou também a preocupação da entidade diante da pretensão do Bradesco de implantar horário diferenciado nas agências de Belo Horizonte entre 31 de outubro e 29 de novembro. Devido à contratação do Bradesco para administrar as contas dos servidores da Prefeitura de Belo Horizonte, a demanda de atendimentos deve crescer e o banco pretende abrir as unidades para atendimento ao público entre as 8 e as 19h nestes dias.

O Sindicato cobrou esclarecimentos e denunciou que os trabalhadores serão submetidos a condições de trabalho ainda piores, já que a quantidade de funcionários nas agências é insuficiente e o banco está em pleno processo de incorporação do HSBC.

Próxima reunião

O banco ficou de dar respostas aos questionamentos da categoria em uma próxima reunião que está prevista para a primeira quinzena de novembro.

reuniaocoebradesco1_26out

Representantes dos trabalhadores realizaram reunião preparatória na sede da Contraf-CUT durante a manhã

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: