A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú se reúne com a direção do banco, na próxima sexta-feira, 13 de novembro, para cobrar explicações sobre as mudanças nos critérios dos programas de remuneração variável dos funcionários, sem negociação prévia com o movimento sindical. A tabela com as novas projeções de metas do Ação Gerencial Itaú para Resultado (Agir) foi divulgada nesta quarta-feira (11) nas agências. A COE reivindica a suspensão da tabela até o final da negociação.

As mudanças afetam diretamente a remuneração dos funcionários dentro do programa. “É inaceitável que essa mudança seja feita sem nenhuma negociação ou nenhum aviso aos funcionários. O correto é ter negociado com o movimento sindical, antes de anunciar”, afirmou Jair Alves, coordenador da COE Itaú.

A diretora do Sindicato Valdenia Ferreira, representante da Fetrafi-MG/CUT como titular da Comissão de Organização dos Empregados do Itaú (COE Itaú), esclarece que o departamento de Relações Sindicais é um setor dentro dos Recursos Humanos do Itaú, que não representa os sindicatos e sim negocia com as entidades sindicais. “A citação desta área nos comunicados do banco tem gerado dúvidas e questionamento aos dirigentes sindicais. Por isso, é importante esclarecermos”, ressaltou Valdenia.

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

 

Compartilhe: