A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú se reuniu com o banco, por videoconferência, na tarde desta terça-feira, 7, para discutir a transformação de alguns caixas em agentes de negócios. O novo formato de atendimento começou a ser testado em julho, em São Paulo, e a COE cobrou esclarecimentos do banco.

O Sindicato participou da reunião representado pela diretora Valdenia Ferreira, que é titular da COE Estadual, e também pela diretora de Saúde, Luciana Duarte, que é coordenadora nacional do GT de Saúde.

Reunião ocorreu nesta terça, 7, por videoconferência

De acordo com o Itaú, atualmente são 10.050 caixas em todo o Brasil. Destes, 55% já têm o a Certificação Profissional Anbima – Série 10 (CPA-10), exigência mínima para a alteração.

O movimento sindical reivindicou que todos os caixas sem a CPA-10 tenham a mesma oportunidade de fazer a Certificação, sem nenhuma interferência. Além da possibilidade de o Itaú pagar o curso de certificação.

Segundo dados apresentados pelo Itaú, já nesta quarta-feira, 8 de julho, ocorre a migração de 5.081 caixas certificados em todo o Brasil.

A COE Itaú questionou como ficarão o programa AGIR, ligado à remuneração variável dos funcionários do Itaú, e o Trilhas de Carreira, mecanismo de avaliação trimestral dos caixas, para os funcionários que mudarem de cargo.

O Itaú ficou de responder todas as reivindicações na próxima reunião, mas garantiu que os funcionários que atuam como caixa não terão alterações na jornada e na remuneração.

“O Sindicato acompanha de perto a migração dos caixas para garantir os direitos de funcionárias e funcionários. A certificação também é de extrema importância e, por isso, nossa entidade conta com parcerias para oferecer cursos gratuitos aos trabalhadores em sistema de ensino a distância”, afirmou Valdenia Ferreira, diretora do Sindicato.

Para saber mais sobre os cursos, clique aqui.

Outras pautas

A COE Itaú questionou sobre os trabalhadores que estão em home office. O Itaú garantiu que eles permanecerão nesta modalidade até o dia 2 de setembro. Próximo da data, pode haver nova discussão sobre o assunto se não houver novas definições na Campanha Nacional 2020.

Em relação às agências que foram fechadas no início da pandemia para diminuir o fluxo, o Itaú afirmou que ainda não tem informações sobre se este fechamento será definitivo após a crise da Covid-19.

O Itaú respondeu também que está cumprindo a cláusula 29 Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), referente à complementação do salário de quem já tem a concessão do benefício e o adiantamento do salário para quem ainda aguarda a perícia.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

 

Compartilhe: