Na semana em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, o Coletivo Nacional de Saúde da Trabalhadora e do Trabalhador da Contraf-CUT faz mais uma reunião itinerante. Desta vez, a reunião ocorre em Belo Horizonte, na sede da Fetrafi-MG, nesta quarta-feira, 27, para discutir as pautas de saúde da categoria e da classe trabalhadora de forma geral.

O encontro acontece em um momento difícil para o país, com ameaças constantes de ruptura do processo democrático conquistado desde 1985. Neste cenário, os direitos dos trabalhadores podem sofrer retrocessos e a saúde não está fora desse contexto.

A Política Nacional de Saúde do Trabalhador (PNSST) depende do tripé da Seguridade Social, envolvendo, pelo menos, três ministérios:  Saúde, Previdência Social e Trabalho. O enfraquecimento desses três ministérios afetará negativamente a PNSST e os mecanismos que a compõem, como o Fator Acidentário de Prevenção (FAP), o Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário (NTEp), a Comissão Tripartite – Saúde e Segurança no Trabalho (CT-SST), a Comissão Tripartite Paritária Permanente (CTPP) e as demais instâncias democráticas que discutem e estabelecem as políticas de saúde dos trabalhadores no Brasil.

Entre os temas da reunião do Coletivo, estão as seguintes pautas:

-Análise da Conjuntura;

-Prioridades para a área da saúde dos trabalhadores no contexto atual;

-Democratização das relações de trabalho no Brasil;

-Fóruns tripartites que participamos com representação dos trabalhadores: como ficará daqui para frente?;

-Campanha Nacional de 2016 – perspectivas e desafios para a área da saúde dos trabalhadores;

– Processo negocial: mesa bipartite, assédio moral e cláusulas 44ª e 57ª da CCT.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: