Foto: Contraf-CUT

Foto: Contraf-CUT

O Comando Nacional dos Bancários se reuniu nesta quinta-feira, 27, na sede da Contraf-CUT para avaliar a Campanha Nacional 2016 e definir o calendário de atividades até o final do ano e em 2017. Os representantes dos bancários também debateram sobre a participação da categoria bancária no Dia Nacional de Greve e Paralisações, que está sendo convocado pelas centrais sindicais para o dia 11 de novembro.

Na avaliação do Comando, a Campanha Nacional teve uma boa condução em todo o seu processo, com greve de 31 dias, a maior da história recente da categoria. Para os representantes dos bancários, houve agilidade nas informações sobre as negociações e intensificação da capacidade de mobilização, mesmo diante de um ambiente político e econômico muito adverso, em meio a um golpe e a uma profunda recessão, intransigência dos banqueiros e dos ataques por parte da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) contra a organização dos trabalhadores.

A celebração da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), com vigência estabelecida em dois anos, como já é praticada por outras categorias, mesmo que inicialmente tenha causado estranhezas, foi considerada como importante neste difícil momento, repleto de inseguranças aos trabalhadores. Frente às ameaças contidas nas pautas do Governo Federal e do Congresso Nacional, a CCT vigente por dois anos configura-se como uma salvaguarda na manutenção das conquistas dos bancários e aumento real em 2017.

Sobre o dia de greve e paralisações convocado pelas centrais para 11 de novembro, o Comando Nacional orientou os sindicatos a participar das atividades em suas bases e a Contraf-CUT vai produzir material para ser distribuído. O foco será na denúncia da retirada dos direitos dos trabalhadores e do ataque às liberdades democráticas, em repúdio à PEC 241, contra a reforma da Previdência Social, em defesa do emprego e do Pré-Sal. Serão também abordadas questões específicas que atingem os bancários.

Vale-Cultura

Durante a reunião, também foi discutida a vigência da Lei do Vale-Cultura, que, caso não seja reeditada, terá seu prazo final em dezembro de 2016. Os bancos já anunciam a vinculação da concessão do benefício atrelada aos incentivos fiscais previstos na legislação. O Comando Nacional dos Bancários definiu por fazer gestões organizadas junto ao Ministério da Cultura, segmentos sociais que debatem a Cultura e parlamentares para a inclusão no Orçamento da União de 2017.

Calendário

O calendário prévio indicado pelo Comando para o ano de 2017 prevê, dentre outras agendas, a realização de encontros nacionais organizativos dos bancários em bancos privados e em financeiras, bem como os congressos nacionais e regionais dos funcionários de bancos públicos.

No mês de julho de 2017, ocorrerão os Encontros Estaduais e/ou Regionais de Bancos Privados, Encontros/Congressos Estaduais e/ou Regionais de Bancos Públicos e as Conferências Estadual e/ou Regionais.

Já em agosto, ocorrem os Encontros Nacionais de Bancos Privados, Encontros/Congressos Nacionais de Bancos Públicos e a 19ª Conferência Nacional dos Bancários.

O Comando Nacional dos Bancários também estabeleceu cronograma inicial para o acompanhamento dos vários temas constantes da CCT 2016/2018, dentre elas as mesas temáticas bipartite de Saúde e Condições no Trabalho, Segurança Bancária e Igualdade de Oportunidades. O Comando acompanhará, junto com as Comissões de Organização de Empresa (COEs), o andamento dos debates sobre a prevenção ao assédio moral e do retorno ao trabalho em caso de doenças ocupacionais.

As datas exatas serão definidas na próxima reunião do Comando Nacional.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: