O Comando Nacional dos Bancários retomou, na manhã desta quarta-feira, 9, em São Paulo, os debates da Campanha Nacional 2015 com a Fenaban. Trata-se da terceira rodada de negociação e estão em debate as reivindicações de igualdade de oportunidades.

O ambiente bancário ainda está longe de ser democrático. Os bancos continuam discriminando as pessoas com deficiência, a população LGBT, os negros e as mulheres. O II Censo da Diversidade sobre a categoria bancária, divulgado em 2014, revelou que as mulheres ganham 22,1% a menos que os homens. A remuneração dos trabalhadores negros também é menor, 12,7% mais baixa na comparação com brancos, apesar de 74,5% dos negros terem curso superior, assim como 82,5% das mulheres.

Entre as reivindicações entregues à Fenaban estão a democratização do acesso de candidatas e candidatos às vagas de emprego, com garantias igualitárias de contratação, independentemente de gênero, raça, orientação sexual, idade e condições econômicas.

A categoria também cobra o compromisso dos bancos com o combate ao assédio sexual. A Consulta Nacional dos Bancários 2015 revelou que o tema preocupa 12% da categoria e as denúncias estão aumentando.

Semana de luta

Além da Fenaban, os bancários retomam, nesta semana, a mesa de negociações específicas com a CAIXA, com o debate sobre carreira, isonomia e organização do movimento, e também com o Banco do Brasil, com reivindicações de cláusulas sociais e previdência complementar. As duas reuniões serão realizadas na próxima sexta-feira, 11, em Brasília.

Calendário de negociações

Fenaban

9/9 – Igualdade de Oportunidades
16/9 – Remuneração

CAIXA

11/9 – Carreira, isonomia e organização do movimento
18/9 – Contratação, condição das agências e jornada

Banco do Brasil

11/9 – Cláusulas sociais e previdência complementar
18/9 – Remuneração e plano de carreira

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: