O Comitê Nacional em Defesa da Caixa 100% Pública, integrado por Contraf-CUT, Fenae, CUT, CTB, Intersindical e CSP-Conlutas, protocolou nesta segunda-feira, 16, novos ofícios nos quais reforça o pedido de audiência com a presidenta Dilma Rousseff e com o ministro Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral da Presidência da República. O objetivo das reuniões é cobrar uma posição oficial do governo federal sobre a proposta de abertura de capital do banco.

Nos documentos, as seis entidades lembram que a primeira solicitação foi feita em 23 de dezembro de 2014, logo que foram veiculadas notícias de que o governo estaria estudando a abertura de capital da CAIXA.

Ofícios reiterando o pedido foram enviados em 9 de fevereiro. Já no dia 6 de março, o Comitê Nacional, após reunião realizada em Brasília, solicitou audiência com a nova presidente do banco, Miriam Belchior. Nenhuma resposta foi dada até o momento.

No último dia 9, uma nota do jornal Valor Econômico disse que o governo desistiu de abrir o capital da CAIXA, mas os trabalhadores cobram um pronunciamento oficial.

Mobilização

O Sindicato dos Bancários de BH e Região realizou, no dia 23 de fevereiro, um Encontro de Delegados Sindicais em defesa da manutenção da CAIXA 100% pública, reforçando seu importante papel no desenvolvimento social e econômico do Brasil. No Encontro, estiveram presentes importantes lideranças nacionais do movimento dos empregados.

Já no dia 27 de fevereiro, a entidade promoveu um grande ato em frente à agência Tupinambás, no centro de Belo Horizonte como parte do Dia Nacional de Luta, que foi marcado pela realização de atividades em todo o país. O ato contou com a adesão em massa de empregadas e empregados de diversas agências e unidades de trabalho da base de BH e região.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT e Fenae

Compartilhe: