O Conselho de Usuários do Saúde Caixa enviou um ofício à Gerência Nacional de Plano de Saúde (Gesap), na semana passada, para cobrar uma reunião extraordinária conforme previsto na ata da última reunião, realizada em dezembro de 2019. A reivindicação para o encontro já havia sido feita e após diversas reiterações, a CAIXA retornou negando a realização da reunião.

Na última reunião, o banco mais uma vez descumpriu o Parágrafo 9º da Cláusula 32ª do Acordo Coletivo de Trabalho e deixou de apresentar os relatórios atuarial com projeção para 2020 e financeiro referente ao exercício de 2019. O objetivo é que os conselheiros eleitos avaliem o desempenho do plano conforme prevê o Regimento Interno do Conselho.

A justificativa da CAIXA foi de que a empresa contratada para a realização da projeção não conseguiu concluir o trabalho, o que ocorreria até meados de janeiro, comprometendo-se a apresentar os relatórios assim que estivessem disponíveis. Os eleitos concordaram na expectativa de que a CAIXA fosse cumprir o compromisso.

Para a análise dos relatórios, seria necessária a realização de uma reunião extraordinária o quanto antes, não só pelo fato de que, em conformidade com o ACT, os documentos devem ser concluídos em novembro do próprio exercício, mas também porque os conselheiros eleitos estão encerrando seu mandato, e essa tarefa não pode ser transferida aos novos conselheiros eleitos, pois são responsáveis somente pelos movimentos de 2020 a 2022.

Diante de tamanho desrespeito, os eleitos encaminharam a correspondência, pedindo agendamento da reunião e avisando que, caso contrário, adotarão outras medidas cabíveis.

Os eleitos encaminharam também um manifesto em repúdio, não só a está última medida da CAIXA, como a todos os empecilhos criados ao longo da gestão, na clara tentativa de inviabilizar os trabalhos dos representantes dos usuários.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

 

Compartilhe: