A Declaração Universal dos Direitos Humanos completa, no mês de dezembro de 2018, 70 anos de existência. Nesta segunda-feira, 10, se comemora o Dia Internacional dos Direitos Humanos e é fundamental reforçar a importância destes direitos no atual momento, de retrocessos e ataques a direitos, vivido no Brasil.

Leis que tornam a liberdade, a igualdade social, a educação e a segurança direitos de todos vêm sendo ignoradas com situações cada vez mais frequentes de violência, descaso e discriminação no país.

De acordo com dados do IBGE de 2018, 55 milhões de brasileiros vivem na pobreza. Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) mostram que 2,5 milhões de crianças e adolescentes não estão matriculadas em escolas.

Quando o assunto é violência os números são ainda mais alarmantes. Cerca de 153 brasileiros são assassinados por dia. De acordo com o Atlas da violência de 2018, 71,5% dos crimes atingem pessoas negras ou pardas.

Os crimes motivados pelo preconceito e discriminação também fazem vítimas em todo o país. De acordo com o Grupo Gay da Bahia, a cada 19 horas 1 pessoa é assassinada vítima de LGBTfobia. Dados da OMS mostram ainda que o Brasil tem a 5ª maior taxa de feminicídio no mundo.

Além de lembrar a importância da reflexão sobre o passado e sobre a construção de um futuro mais justo, o dia 10 de dezembro deve servir para que brasileiros e pessoas em todo o mundo cobrem políticas públicas e leis que garantam a dignidade de todos, punindo de forma efetiva aqueles que não reconhecem ou deixam de cumprir a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

 

Compartilhe: