Os acordos firmados com o Banco do Brasil, tanto de Comissão de Conciliação Prévia (CCP) como de Comissão de Conciliação Voluntária (CCV), preveem a conciliação em até 30 dias a partir da data de protocolo junto à Gepes Jurisdicionante. A CCP é destinada a demandas extrajudiciais de ex-funcionários, já desligados dos quadros do BB. Já a CCV é exclusiva para requerer acordo sobre 7ª e 8ª horas extras. Porém, o Banco do Brasil não vem cumprindo os prazos do acordo e o Sindicato já denunciou o problema mais de uma vez.

O descumprimento não atinge exclusivamente o Sindicato dos Bancários de BH e Região. Todos os sindicatos de bancários que estão com a CCV e a CCP vigentes passam pela mesma dificuldade.

Só o Sindicato de BH e Região está com, aproximadamente, 90 demandas de bancários represadas na Gepes-BH que, quando consultada e questionada, transfere a responsabilidade para a Gepes Brasília II.

É importante destacar que a demora das conciliações é culpa, unicamente, do Banco do Brasil. Os sindicatos também são vítimas da incompetência do BB. A orientação é que o colega que se sinta prejudicado abra um protocolo de atendimento no “Fale com a Gepes” e na Ouvidoria do Banco do Brasil.

Em razão dessa demora do BB em agendar as conciliações, alguns bancários estão manifestando o desejo de cancelar o processo conciliatório e, como isto não é previsto nos normativos do BB, é mais um tempo prolongado que o bancário perde nesta novela sem fim.

Matheus Coelho, diretor do Sindicato, destaca que “as nossas tratativas com o BB são constantes, pois os bancários são os mais penalizados desta inércia do Banco do Brasil. De forma irresponsável, o banco cortou pessoal das Gepes e fez uma centralização que só piorou o atendimento, descumprindo prazos sem nenhuma explicação plausível e não atendendo os colegas que já esperaram tanto”.

Compartilhe: