O Sindicato dos Bancários de BH e Região cobrou e o Mercantil do Brasil implementou, em 2017, a extensão do programa de vacinação contra a gripe H1N1/Influenza, com descontos exclusivos para dependentes diretos dos funcionários.

O período para vacinação foi estendido para o período de 29 de junho a 15 de julho de 2017. Por isso, quem ainda não se vacinou ainda tem tempo para proteger a sua saúde e de sua família.

Os preços das doses serão os seguintes:

  • Vacina Influenza Trivalente Valor unitário: R$55,00
  • Vacina Influenza Quadrivalente – Valor unitário: R$80,00.

Os dependentes deverão apresentar, na Clínica Imunológica, o voucher (autorização com a matrícula do funcionário) constando nome e CPF de cada dependente. O voucher deverá ser retirado pelo funcionário na Coordenação de Saúde, Segurança do Trabalho e Informações Gerenciais, somente durante o período descrito acima.

O pagamento deverá ser realizado no momento da vacinação. As formas de pagamento poderão ser cartão débito/credito ou dinheiro.

O convênio foi assinado com a Clínica Imunológica Vacinas e os locais de vacinação, são:

  • Rua Domingos Vieira, 561 – Santa Efigênia –Belo Horizonte.
  • João César de Oliveira, 1007 – sala 111 – Eldorado – Contagem.
  • Gov. Valadares, 570 – 2º Andar – Centro – Betim.

Para Marco Aurélio Alves, funcionário do Mercantil do Brasil e diretor do Sindicato, os trabalhadores do banco há muito ansiavam por um convênio que permitisse a extensão da vacinação para seus dependentes a preços acessíveis. “A tranquilidade que o convênio nos traz é gratificante. O vírus H1N1/Influenza continua a aterrorizar mundo afora, levando a complicações de saúde. Por isso, nada mais justo que o banco crie condições para estender a proteção às nossas famílias”, afirmou.

Vanderci Antônio da Silva, também funcionário do Mercantil e diretor do Sindicato, destacou que o Sindicato continua em luta para estender o convênio para os funcionários do interior de Minas Gerais e também os bancários de outros estados. “Por uma questão geográfica, o modelo implementado atenderá somente aos trabalhadores lotados em Belo Horizonte e região. Por isso, cobraremos do banco a extensão para os funcionários no restante do país”, explicou.

Compartilhe: