No mês de outubro de 2016, o Itaú abriu a comporta das demissões e implementou um processo de corte de postos de trabalho. Atento a esta situação, o Sindicato denunciou o banco no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) que intermediou uma reunião para que a entidade e o Itaú buscassem medidas para evitar as demissões. Neste sentido, foi montado um calendário de ações iniciado no dia 06 de janeiro, quando o Sindicato enviou propostas para evitar demissões no banco. No dia 13, Sindicato e banco se reuniriam para debater essas propostas e no dia 30 deverá haver nova reunião entre o Sindicato e o banco no MTE para prosseguir a negociação.

Desrespeitando o Sindicato e o MTE, o Itaú não compareceu à reunião do dia 13 e sequer apresentou qualquer justificativa. Com essa atitude o banco deixa claro o seu desprezo para com os seus funcionários e para com o aumento do desemprego no país.

“No dia 30 de janeiro, vamos exigir do banco uma explicação sobre este descaso para com os funcionários. Afinal de contas, se o Itaú insiste de tratar os seus funcionários como meros objetos descartáveis, o Sindicato está pronto para mais uma vez defender a dignidade dos trabalhadores”, destaca Ted Silvino funcionário do Itaú e diretor do Sindicato.

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região

Compartilhe: