Nesta sexta-feira, 24 de janeiro, é comemorado em todo o Brasil o Dia do Aposentado. Lembrando a luta de trabalhadores que participaram ativamente da construção do país, este dia foi escolhido porque nele foi assinada, em 1923, a Lei Eloy Chaves, que criou a caixa de aposentadorias e pensões para os empregados em todas as empresas privadas de estradas de ferro então existentes. Este foi um marco para a Previdência Social, que até então atendia apenas funcionários do governo federal.

O Sindicato dos Bancários de BH e Região homenageia todos estes trabalhadores que deram suas vidas para a construção de um Brasil melhor, principalmente as bancárias e os bancários aposentados, que fazem parte da história da categoria e, ainda hoje, lutam por avanços e pela garantia de seus justos direitos.

Um importante exemplo é a Associação dos Bancários Aposentados e Pensionistas de Belo Horizonte (Abapbel). Fundada em 22 de agosto de 1980, a associação atua em parceria com o Sindicato na defesa, orientação e proteção dos direitos do trabalhador bancário aposentado e pensionista, além de promover a integração da categoria através de atividades culturais e educacionais. Atualmente, a Associação é presidida por Hermélio Campos, que foi presidente do Sindicato dos Bancários durante três gestões.

Também na base de Belo Horizonte e região, a Associação dos Economiários Aposentados de Minas Gerais (AEA/MG) é referência com sua luta em defesa dos direitos de aposentados e pensionistas da CAIXA. Fundada em fevereiro de 1985, a AEA/MG é hoje presidida por Décio de Carvalho, ex-presidente da APCEF/MG, e tem papel fundamental nas negociações e conquistas da categoria.

Em defesa da aposentadoria digna, o Sindicato de BH e Região, juntamente com a CUT, sindicatos cutistas e associações de todo o Brasil, tem como uma de suas grandes bandeiras a luta contra o fator previdenciário. Desde as gestões do presidente FHC, que criou o fator alegando tentativa de aliviar a previdência, a classe trabalhadora combate este mecanismo que só traz malefícios a toda a população. O fator previdenciário, da forma como é aplicado hoje, pode diminuir em até 30% o valor de aposentadoria dos homens e em 45% a das mulheres.

Nesta e em outras lutas, em bancos públicos e privados, o Sindicato está ao lado de aposentados e pensionistas brasileiros. Neste 24 de janeiro, devemos reafirmar o importante papel destes trabalhadores para nossa história e luta, assim como a necessidade de permanecermos fortes no combate ao desrespeito, por reconhecimento, pela manutenção e pela ampliação de conquistas e direitos.

Compartilhe: