O Comando Nacional dos Bancários assinou, nesta sexta-feira, 4 de setembro, a Convenção Coletiva de Trabalho e os acordos específicos com a CAIXA e o Banco do Brasil. Aprovados em Assembleia, os acordos são fruto de um intenso processo de negociação e da resistência dos trabalhadores contra a retirada de direitos.

A Convenção Coletiva de Trabalho tem validade de dois anos e prevê a manutenção de todos os direitos clausulados. Prevê também, para este ano, reajuste de 1,5% sobre salários + abono de R$ 2 mil para todos os bancários e ainda reposição da inflação (INPC estimado em 2,74%) para demais verbas como VA e VR, e valores fixos e tetos da PLR. Com a assinatura, o abono e a PLR serão pagos ainda em setembro. Para 2021, haverá a reposição da inflação e aumento real de 0,5% sobre salários e demais verbas.

Os reajustes dos bancários este ano nos salários, nos tíquetes refeição e alimentação, com a PLR e o abono representarão R$ 8,1 bilhões injetados na economia em 12 meses, segundo cálculo do Dieese.

A categoria também conquistou a inclusão de cláusulas na CCT para garantir apoio dos bancos às bancárias vítimas de violência doméstica. Saiba mais.

“Mesmo na difícil conjuntura que estamos vivendo, a categoria bancária garantiu todas as conquistas da Convenção Coletiva de Trabalho por mais dois anos. Nossa mobilização foi fundamental para fazer os bancos recuarem das propostas de retirada de direitos e até mesmo de reajuste zero. Seguimos juntos. A distância não nos limita”, afirmou o presidente do Sindicato, Ramon Peres, que integra o Comando Nacional e participa das negociações.

Acesse aqui a minuta da CCT na íntegra.

Acesse aqui a minuta da CCT sobre a PLR na íntegra.

Acesse aqui a minuta da CCT Relações Sindicais na íntegra.

CAIXA

O Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) dos empregados da CAIXA, que também foi assinado nesta sexta e valerá para os próximos dois anos, garante, entre outros pontos, todos os direitos anteriores do último acordo, a PLR Social e o Saúde Caixa Para Todos, vencendo o teto de 6,5%, inserido no estatuto da Caixa em 2017, e mantendo o modelo de custeio baseado no pacto intergeracional, mutualismo e solidariedade. Saiba mais aqui.

Eliana Brasil, diretora do Sindicato e representante de MG na Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), destacou que foi uma negociação muito difícil, mas os trabalhadores resistiram fortemente e foram vitoriosos.

“A CEE/Caixa foi muito firme para defender nossos direitos diante de um governo que só quer atacar os trabalhadores. Não aceitamos que colocassem, no acordo, coisas diferentes daquilo que negociamos e que foi aprovado na Assembleia. Nosso compromisso com os empregados está acima de tudo. À frente da Comissão, nós temos Fabiana Proscholdt, uma mulher forte, jovem e mãe que enfrentou, junto aos outros membros e nossa assessoria jurídica, negociações duras que foram noite adentro. Em defesa dos empregados, vencemos mais uma vez e garantimos nosso ACT”, afirmou.

Acesse aqui a minuta do Acordo Coletivo com a CAIXA na íntegra.

Acesse aqui a minuta do Acordo Coletivo sobre a PLR da CAIXA na íntegra.

Banco do Brasil

Também assinado neste 4 de setembro, o ACT com o Banco do Brasil representa uma vitória dos funcionários e funcionárias contra as tentativas do BB de retirar direitos.

Os trabalhadores garantiram a manutenção da PLR com a distribuição de 4% do lucro líquido, enquanto o BB pretendia que esse percentual fosse cortado pela metade. Para a GDP, o banco propunha apenas 1 ciclo avaliatório para descomissionamento, mas a força da categoria conseguiu manter as 3 avaliações negativas. Veja mais detalhes aqui.

“A extrema dificuldade enfrentada ao longo desse processo negocial reflete o contexto extremamente desfavorável em que nos encontramos, e que ainda deve perdurar por um tempo. Mas mesmo nesse cenário adverso, conseguimos manter intactas praticamente todas as cláusulas do nosso ACT, além de garantir o nosso modelo de PLR e um reajuste salarial pelos próximos dois anos. Isso mostra a força da nossa categoria!”, ressaltou Luciana Bagno, diretora do Sindicato e representante de MG nas negociações com o banco.

Acesse aqui a minuta do Acordo Coletivo com o BB na íntegra.

Acesse aqui a minuta do Acordo Coletivo sobre a PLR do BB na íntegra.

 

Siga o Sindicato: Facebook | Twitter | Instagram

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com SP Bancários

 

Compartilhe: