Foto: Leopoldo Rezende

Diante da intransigência dos banqueiros e das direções dos bancos federais, cerca de 400 bancários e bancárias reunidos em assembleia no Sindicato nesta quinta-feira, 12, decidiram por ampla maioria pela greve por tempo indeterminado a partir do dia 19 de setembro para pressionar a Fenaban, a CAIXA e o Banco do Brasil a atender as justas reivindicações da categoria.

A deflagração da greve é uma resposta ao desrespeito dos bancos para com os bancários que não tiveram outra alternativa a não ser utilizar o principal instrumento de luta dos trabalhadores para fazer valer os seus direitos.

Na última rodada de negociações com o Comando Nacional dos Bancários, a Fenaban apresentou proposta de reajuste de apenas 6,1%, que contempla somente a reposição da inflação prevista e nada de aumento real sobre salários ou pisos, nada de melhoria da PLR ou garantia de outros direitos. A proposta foi recusada pelo Comando ainda em mesa e a assembleia realizada nesta quinta-feira, 12, referendou esta posição.

Apesar dos lucros exorbitantes do primeiro semestre de 2013 – período em que os seis maiores bancos que atuam no Brasil obtiveram uma soma de R$ 29,6 bilhões – os banqueiros desrespeitam as reivindicações dos bancários, os principais responsáveis pelos grandes resultados. Além disso, os bancos não oferecem condições dignas de trabalho e demitem bancários, o que causa falta de funcionários nas agências. Isto precariza o atendimento e prejudica clientes, usuários e os próprios bancários, que sofrem com a cobrança por metas abusivas e pressão através do assédio moral, o que leva ao adoecimento.

Para o presidente do Sindicato, Cardoso, os bancários deram um show de democracia ao comparecer em massa em uma assembleia muito representativa. “Tivemos a presença de mais de 400 bancários de todos os bancos, que deixaram clara a sua indignação contra o desrespeito e a intransigência dos banqueiros e da direção dos bancos públicos, demonstrando que estão dispostos a ganhar as ruas para conquistar nossas justas reivindicações. Agora é hora de aumentar a mobilização e de cada um, dentro de sua unidade, convencer seu colega de trabalho a aderir à greve, que é nosso principal instrumento de luta. Viva os bancários. Viva as bancárias”, afirmou.

Para organizar a greve, o Sindicato convoca bancárias e bancários para Assembleia Geral Extraordinária a ser realizada no dia 18 de setembro, na sede da entidade, onde serão discutidas as paralisações das atividades de agências, departamentos e demais unidades de trabalho a partir do dia 19.

Assembleia Geral Extraordinária

Dia: 18 de setembro, quarta-feira.
Horário: 18h30 em primeira convocação e 19h em segunda convocação.
Local: sede do Sindicato, na rua Tamoios, 611 – Centro – Belo Horizonte.
Em pauta: organização da greve por tempo indeterminado.

Compartilhe: