Depois da manutenção da liminar que suspendeu a reestruturação pretendida pela CAIXA, concedida pela Justiça a pedido da Contraf-CUT, o banco reabriu, nesta segunda-feira, 17, o processo de movimentação com prazo final para o dia 2 de março.

A Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa) orienta os empregados que sofrerem pressão ou assédio de qualquer tipo durante o processo a procurarem seus sindicatos e denunciarem.

Dionísio Reis, coordenador da CEE/ Caixa, lembra que a CAIXA iniciou a reestruturação sem qualquer negociação com as entidades sindicais, representantes dos empregados. “É um absurdo a CAIXA não negociar um processo desta magnitude que interfere diretamente na vida dos trabalhadores”, afirmou.

Já Fabiana Uehara Proscholdt, que representa a Contraf-CUT nas negociações com o banco, avalia que é necessária ponderação neste momento, para que as informações corretas cheguem a todos os empregados, visto o clima de insegurança e incerteza gerado pela própria CAIXA. “Os dados solicitados pelos representantes dos empregados são necessários para avaliar o quadro da reestruturação e as situações dos trabalhadores por ela atingidos. Queremos que todos que sejam foco dessa reestruturação tenham garantias e esclarecimentos suficientes para uma tomada de decisão que poderá influenciar diretamente sua vida funcional e pessoal”, destacou.

A Contraf-CUT informa, ainda, que permanece aberta à negociação para defender os direitos de todos os empregados da CAIXA.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

 

Compartilhe: