O Sindicato somou forças às mais diversas entidades de representação dos empregados da CAIXA que, nesta quarta-feira, 20, realizaram atos em todo o país em defesa do Saúde Caixa. Os empregados vestiram branco para mostrar a união da categoria na defesa do plano de saúde e protestar contra a alteração no modelo de custeio do Saúde Caixa.

Em Belo Horizonte, o Sindicato visitou unidades de trabalho e debateu com bancárias e bancários sobre a necessidade de fortalecer a campanha em conjunto com todos os empregados.

Os trabalhadores ressaltaram a importância de sensibilizar colegas de trabalho que ainda não percebem a dimensão dos problemas. É preciso que todos se somem à luta para que a categoria possa enfrentar os ataques e ameaças do governo Temer.

Em 18 de janeiro deste ano, a Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União (CGPAR) publicou uma resolução em que estabelece “diretrizes e parâmetros para o custeio das empresas estatais federais sobre benefícios de assistência à saúde aos empregados”.

Na CAIXA, por exemplo, atualmente 70% de todas as despesas operacionais e 100% das despesas administrativas do Saúde caixa são custeadas pelo banco. Os empregados arcam com 30% dos custos operacionais do plano.

Com a resolução da CGPAR e a alteração promovida no Estatuto Social do banco, será estipulado um limite correspondente a 6,5% da folha de pagamento para a participação do banco nessas despesas.

“Todas as entidades de representação dos empregados da CAIXA estão unidas na defesa do Saúde Caixa. Neste Dia Nacional de Luta, ocorreram atividades em Belo Horizonte e em todo o país, com os empregados vestindo branco, e atos em diversos departamentos do banco. A defesa do Saúde Caixa é mais uma das lutas que a categoria trava na Campanha Nacional dos Bancários. Além de lutarmos pelo aumento real, pela PLR e pela manutenção dos nossos direitos, temos que lutar pela manutenção do modelo de custeio do nosso plano, para que ele não seja inviabilizado. Um plano que já mostrou que é viável do jeito que é hoje. Por isso, não podemos permitir que essa medida venha a atingi-lo”, ressaltou a presidenta do Sindicato Eliana Brasil.

Seminário

O ataque do governo não é apenas contra a CAIXA e trabalhadores de outras empresas também sofrem as mesmas ameaças. Por isso, os trabalhadores buscam se unir para enfrentar os desafios.

As entidades de representação dos empregados da CAIXA, em conjunto demais bancos e outras empresas públicas, vão realizar um seminário em defesa dos planos de saúde de autogestão das empresas estatais. O evento tem data prevista para 28 de junho e também contará com a participação de representantes de usuários da Cassi, Postal Saúde, AMS/Petrobras e PAS/BNDES.

 

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

 

Compartilhe: