Encontro foi realizado nesta terça-feira, 19, no Sindicato

 

Delegadas e delegados sindicais da CAIXA e do Banco do Brasil, da base de BH e região, se reuniram nesta terça-feira, 19 de junho, na sede do Sindicato. O encontro foi realizado tendo em vista o início da Campanha Nacional 2018 e também os frequentes ataques do governo Temer aos bancos públicos e aos planos de saúde dos trabalhadores, como o Saúde Caixa e a Cassi.

Durante o evento, os participantes puderam debater estratégias de luta para a Campanha Nacional deste ano, que será a primeira após a entrada em vigor da reforma trabalhista.

O fim da ultratividade ameaça a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e os acordos específicos por banco. Sem que novos acordos sejam assinados até o dia 31 de agosto, quando vencem os que estão em vigor, direitos conquistados pela categoria podem ser perdidos.

Para a presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, é fundamental que delegados sindicais dialoguem com seus colegas nos locais de trabalho para explicar os desafios que se apresentam neste ano. “Esta Campanha Nacional será diferente de todas as anteriores e nossos direitos estão em risco. Por isso, todos devem estar atentos e fazer parte, efetivamente, de nossa mobilização. Só com muita unidade e luta será possível derrotar as graves ameaças e defender nossas conquistas”, afirmou.

Trabalhadores discutiram a mobilização para enfrentar os efeitos da reforma trabalhista

Debates específicos

Após uma abertura conjunta, os delegados se dividiram para debater as questões específicas. Bancários da CAIXA realizaram as discussões do plenarinho do Sindicato e bancários do BB permaneceram no auditório para dar continuidade aos debates.

Os empregados da CAIXA aproveitaram a oportunidade para tratar da defesa do banco 100% público, da Funcef e do Saúde Caixa. Em relação ao plano de saúde, delegadas e delegados criticaram a intenção do banco de reduzir sua participação no custeio, desrespeitando o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). Os empregados já vêm realizando uma intensa campanha nacional em defesa do Saúde Caixa e, nesta quarta-feira, 20 de junho, se vestirão de branco para protestar. Saiba mais.

Outra ameaça contra os planos de saúde de empresas públicas, incluindo a CAIXA e o BB, são as resoluções 21, 22 e 23 da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União (CGPAR). Os documentos tratam de diretrizes e parâmetros para o custeio dos benefícios de assistência à saúde dos trabalhadores e criam uma série de condições mais restritivas para usuários e seus dependentes. Saiba mais aqui.

Já especificamente sobre a Cassi, delegadas e delegados sindicais do BB discutiram a proposta apresentada pelo banco, que penaliza os associados com aumentos na contribuição. Além disso, o Banco do Brasil tem se negado a negociar com as entidades representativas e vem provocando terrorismo nas unidades de trabalho em relação ao futuro da caixa de assistência. Um Dia Nacional de Luta em Defesa da Cassi está marcado para esta quarta-feira, 20 de junho. Confira mais informações.

“Delegadas e delegados sindicais são multiplicadores e poderão levar as informações debatidas durante o encontro para fazer o contraponto ao posicionamento do Banco do Brasil, reafirmando a necessidade de retomada da mesa de negociação sobre a Cassi”, afirmou o funcionário do BB e secretário-Geral do Sindicato, Matheus Coelho.

Debate dos delegados sindicais do Banco do Brasil

Discussão dos delegados sindicais da CAIXA

 

 

Compartilhe: