Fotos: Arquivo Sindicato

Representantes dos bancários do Mercantil de todo o país participaram, nesta quinta-feira, 23, na sede do Sindicato, do Encontro Nacional dos Funcionários do Mercantil do Brasil. Durante o evento, os participantes elaboraram a minuta com reivindicações específicas, atendendo às questões levantadas pelos funcionários do banco.

Na minuta, constam temas como melhores condições de trabalho nas agências, implementação de um Plano de Cargos e Salários (PCS), contratação de mais funcionários, segurança bancária, ampliação no número de bolsas de auxílio educacional, melhorias nos planos de saúde e odontológico, plano de previdência privada, Programa de Participação nos Resultados (PPR) mais justo e igualitário, dentre outras reivindicações que serão encaminhadas à direção do banco.

Além da elaboração da pauta específica, os presentes também traçaram estratégias de atuação e mobilização dos funcionários em todo o país. As entidades sindicais se comprometeram a trabalhar de forma coesa e organizada para potencializar a pressão sobre o Mercantil e conquistar mais direitos para os bancários.

O funcionário do Mercantil e diretor do Sindicato, Vanderci Antônio da Silva, destacou que, após o Encontro, os dirigentes saíram com um posicionamento definido em relação à atuação do movimento sindical em todo o Brasil. “Mostraremos disposição e força em nível nacional para lutarmos por melhores condições de vida e trabalho dentro do Mercantil. Os trabalhadores do banco abraçaram juntos essa luta pelo justo reconhecimento”, afirmou.

Durante o evento, os dirigentes sindicais tiveram acesso também a uma extensa pesquisa, realizada pelo Dieese, sobre a situação financeira do Mercantil do Brasil, baseada nos balanços publicados pelo banco nos últimos anos. Em palestra proferida pelo Secretário de Organização da Contraf-CUT, Miguel Pereira, o dirigente fez uma radiografia minuciosa das contas do Mercantil e demonstrou que o momento financeiro do banco é favorável para que os trabalhadores se mobilizem cada vez mais e exijam o reconhecimento de todo o esforço e dedicação prestados ao banco, responsáveis por seus lucros cada vez maiores.

Miguel comemorou o sucesso do evento e afirmou que os funcionários do Mercantil saíram do Encontro mais unidos que nunca. “Agora, cada Sindicato deve intensificar as mobilizações em suas bases, em consonância com o resto do país, para mostrarmos ao banco toda a força dos bancários e conquistarmos cada vez mais”, ressaltou.

A presidenta da Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro de Minas Gerais (Fetraf-MG), Magaly Fagundes, destacou o sucesso do Encontro como um prenúncio de novas oportunidades de atuação do movimento sindical a favor dos trabalhadores “As resoluções do Encontro serão seguidas e o banco não terá como negar as reivindicações dos bancários do Mercantil, que são justas e necessárias. Tenho certeza que as ações realizadas em conjunto caminharão para um desfecho favorável ao trabalhador bancário”, afirmou.

Para Marco Aurélio Alves, funcionário do Mercantil e diretor do Sindicato, o Encontro foi uma grande oportunidade de aprendizagem e incentivo para os dirigentes sindicais do banco. “A condução e conclusão do Encontro foram bastante objetivas e coroaram os esforços de todos os presentes. Agora, precisamos avançar na luta para arrancarmos mais conquistas e benefícios para os bancários do Mercantil do Brasil. Os funcionários exigem a sua parte no lucro do banco, cujo crescimento se deve exatamente ao esforço incansável dos bancários”, afirmou.

Já o presidente do Sindicato, Cardoso, enfatizou que o Encontro foi um divisor de águas nas relações dos bancários com o Mercantil. “O banco não pode continuar usando de subterfúgios para negar anseios históricos dos funcionários, como a valorização, melhores condições de vida e dignidade. O movimento dos funcionários do Mercantil do Brasil sai deste Encontro mais fortalecido para enfrentar, de forma cada vez mais aguerrida e organizada, todos os abusos praticados pelo banco”, afirmou.

Compartilhe: