Eleito pela primeira vez em 2008 e reeleito em 2011 com mais de 87% dos votos, o presidente do Sindicato, Cardoso, se licencia no próximo dia 6 de junho para disputar o cargo de vereador em Contagem, na grande BH. Bancário desde 1981, Cardoso ingressou como escriturário na Caixa Econômica Federal em 1989 e desde então vem tendo uma atuação marcante no movimento sindical bancário de Minas e do Brasil. Biólogo formado pela UFMG, Cardoso foi delegado sindical por diversas vezes, participou ativamente de todas as greves da categoria e em 2005 foi eleito diretor de Cultura do Sindicato. A sua experiência na luta em defesa dos direitos dos bancários o levou à presidência do Sindicato e o colocou à frente de várias campanhas que trouxeram importantes vitórias para a categoria. Morador de Contagem, Cardoso acredita na necessidade de eleger candidatos comprometidos com os anseios dos trabalhadores e com os interesses da maioria da população da cidade. Confira abaixo os principais trechos da entrevista concedida ao JORNAL DOS BANCÁRIOS.

JORNAL DOS BANCÁRIOS – Qual a importância das eleições de outubro para os trabalhadores em especial os bancários e bancárias?
Cardoso – Na condição de terceiro maior sindicato de bancários do País, o Sindicato dos Bancários de BH e Região tem um importante papel a cumprir nessas eleições. Essa é mais uma oportunidade que temos para fazer valer a nossa tradição de 80 anos de luta defendendo os interesses do trabalhador bancário e de todos os trabalhadores de Minas e do Brasil. A nossa história é prova de que sempre estivemos presentes nos momentos políticos decisivos para o país. Portanto, na hora de votar precisamos ter claro que a luta dos trabalhadores se dá nas ruas e nos seus locais de trabalho, mas também se dá nas instâncias onde estão os nossos legítimos representantes eleitos pelo voto popular. Ao votar devemos ter a consciência do valor da nossa escolha e do quanto essa escolha pode interferir no rumo da nossa vida.

JORNAL DOS BANCÁRIOS ? Antes de ser eleito presidente do Sindicato dos Bancários de BH e Região você já exercia uma forte militância no movimento sindical e popular. Como foi esta história?
Cardoso – Sou bancário desde 1981 e ingressei na Caixa Econômica Federal em 1989. Durante estes 30 anos de atividade sempre estive presente na luta dos trabalhadores e principalmente da categoria bancária. Apesar dessa longa militância e de participar de todas as lutas da categoria, todas as greves, atuar firmemente em defesa dos bancos públicos e ser um defensor intransigente da jornada de 6 horas, só vim a me tornar um dirigente sindical em 2005. Entendi que tinha chegado o momento de contribuir com maior disponibilidade para o movimento dos bancários. Então me tornei diretor do Sindicato eleito pela categoria em 2005 e em 2008, essa mesma categoria me deu o seu voto me elegendo presidente e me reelegendo em 2011. Tenho buscado retribuir toda essa confiança participando ativamente da organização e mobilização dos bancários na luta por seus direitos. Hoje integro o Comando Nacional dos Bancários onde participo e tenho oportunidade de debater frente a frente com os representantes dos banqueiros e defender com firmeza os direitos da categoria.

JORNAL DOS BANCÁRIOS ? Quais foram os principais desafios enfrentados a frente do Sindicato?
Cardoso – Tivemos vários desafios, dentre eles garantir e ampliar as conquistas que obtivemos nas gestões anteriores, tais como o aumento dos postos de trabalho no Banco do Brasil e na CAIXA e o fortalecimento da luta em defesa dos bancos públicos como bancos de função social que devem atuar apoiando os programas sociais do governo e fomentando o desenvolvimento do País. Enfrentamos também as conseqüências danosas das fusões dos bancos privados que cortaram postos de trabalho da categoria e pioraram em muito o atendimento à população. Este embate com os banqueiros ainda está acontecendo e o maior desafio é garantir a manutenção dos postos de trabalho dos bancários,  melhorar o atendimento aos clientes e usuários com menos tempo nas filas de espera e mais segurança nas agências.

JORNAL DOS BANCÁRIOS – E como você vê a atuação do Sindicato hoje?
Cardoso – A vitória acachapante com mais de 87% dos votos que obtivemos na eleição para a renovação da diretoria do Sindicato no ano passado consagrou o trabalho desta direção que esta à frente da entidade nos últimos anos. É também a prova de que a categoria reconhece o trabalho que vem sendo realizado pela atual diretoria da entidade  e acredita no seu compromisso em defender os direitos dos bancário. Durante este tempo em que estive na frente do Sindicato pude perceber que as conquistas são fruto de muita luta, organização, participação e atuação firme do Sindicato que tem que estar presente no dia a dia do trabalhador e sintonizado com a luta da categoria bancária. Temos que ter bem claro que não estamos lutando contra qualquer patrão. Os nossos adversários são os banqueiros e as direções dos bancos públicos. Os banqueiros dominam o mercado financeiro, obtendo lucros estratosféricos às custas do trabalho da categoria bancária e da exploração sem medida do povo brasileiro através da cobrança de juros altíssimos  e tarifas abusivas. Já o governo federal, através dos bancos públicos, explora seus funcionários cobrando metas abusivas, cometendo assédio moral, extrapolando jornada de trabalho e submetendo os seus trabalhadores a condições desumanas de trabalho. Apesar de termos conquistado, através de muita pressão a contratação de bancários para estes bancos, o número ainda é insuficiente para atender a grande demanda que hoje existe dentro dos bancos públicos. O Sindicato vem atuando de maneira firme contra todos esses ataques que a categoria vem sofrendo nos bancos. Portanto, o Sindicato tem reafirmado o seu compromisso de estar sempre ao lado da categoria, defendendo os seus interesses  e procurando sempre fortalecer a luta para ampliar cada vez mais as nossas conquistas.

Compartilhe: