Em mais um exemplo do descaso do Bradesco com a segurança, criminosos invadiram uma agência e explodiram um caixa eletrônico no bairro Jaraguá, em Belo Horizonte. O crime aconteceu na madrugada desta quarta-feira, 19, e deixou rastros de destruição na unidade de trabalho, com vidros estilhaçados, teto destruído e terminais danificados.

O Sindicato esteve presente no local, representado pelos funcionários do Bradesco e diretores Paulo Henrique Correa (Capelinha) e Maristela Miranda, e exigiu que a agência permanecesse fechada, para garantir que funcionários, clientes e usuários não sejam expostos a riscos por causa da danificação de equipamentos de segurança. A funcionária da agência e diretora da Contraf/CUT, Raquel Barbosa, também fez parte da ação.

Os casos de explosão de caixas eletrônicos, invasões e sequestros estão se tornando cada vez mais frequentes nas agências do Bradesco. O banco foi o que recebeu mais multas da Polícia Federal, em 2012, por descumprimento de normas de segurança em suas unidades de trabalho, totalizando mais de R$ 1,24 milhão.

No dia 13 de dezembro, o Sindicato realizou, na agência central do Bradesco, em Belo Horizonte, ato contra as condições precárias de trabalho oferecidas pelo banco e denunciaram o descaso. A entidade luta também, junto à Fenaban, pela elaboração de um projeto-piloto de segurança que garanta melhorias efetivas nos bancos.

Para a funcionária do Bradesco e diretora do Sindicato, Maristela Miranda, é essencial que a mobilização continue. “Os trabalhadores continuarão lutando para exigir que o banco ofereça melhores condições de segurança a todos que utilizam suas unidades de trabalho”, afirmou.

Compartilhe: