O governo tenta incessantemente privatizar a CAIXA. Isso significa reduzir e enfraquecer o banco público e prejudicar o desenvolvimento socioeconômico do Brasil.  Para a Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), a privatização não tem sentido. Com base nessa afirmação, a entidade lançou uma campanha para defender a CAIXA 100% Pública.

O site do movimento “Não Tem Sentido” recebe e publica depoimentos de toda a população sobre a importância da CAIXA para o desenvolvimento do país. Acesse aqui: www.naotemsentido.com.br

“Não tem sentido a sociedade brasileira abrir mão de uma empresa tão importante como a Caixa. Por isso, nós, todos os trabalhadores da Caixa e trabalhadores brasileiros, queremos que a Caixa continue firme e forte como ela está: uma empresa dedicada que tem um papel importantíssimo na sociedade brasileira”, afirmou Jair Ferreira, presidente da Fenae, em um dos depoimentos publicados no site da campanha.

Com 157 anos de história, a CAIXA exerce um papel fundamental no desenvolvimento do país com a realização de financiamentos habitacional, de saneamento e de obras públicas, além de oferecer programas sociais inovadores e eficientes, como: o Programa de Integração Social (PIS), Seguro-Desemprego, Bolsa Família, FIES e o Minha Casa Minha Vida. O banco também é responsável pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

“Não tem sentido privatizar os bancos públicos. O povo brasileiro vai pagar um preço muito caro por isso. Vai ter um alimento mais caro na mesa, vai financiar a casa própria com juros muito mais altos porque é isso que os bancos privados querem, só visam os lucros. Os bancos públicos fazem o que os privados não fazem”, afirmou Juvandia Moreira, presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

De acordo com Sergio Takemoto, vice-presidente da Fenae, cerca de 75% das moradias hoje no Brasil são ou foram financiadas pelo banco. “A CAIXA é, historicamente, o banco da habitação. Reduzir o acesso ao financiamento da casa própria significa diminuir a função pública e social do banco”, destacou.

A representante dos empregados no Conselho de Administração da CAIXA, Rita Serrano, afirmou que é preciso combater a privatização, que só visa beneficiar os empresários. “Não tem sentido manter a CAIXA pública, que é uma conquista dos trabalhadores, e ao mesmo tempo ter uma iniciativa da direção do governo de privatizar a gestão do banco. Isso desvaloriza a carreira, os empregados e coloca a direção da empresa sob os interesses privados. É uma outra modalidade de privatização que precisamos combater juntos”, enfatizou.

Para participar da campanha, é preciso entrar no site www.naotemsentido.com.br e enviar um vídeo de até 15 segundos com uma mensagem dizendo por qual motivo a CAIXA não pode ser privatizada. Compartilhe o seu recado com o Brasil e ajude a defender a CAIXA 100% pública.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

 

Compartilhe: