O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, no dia 7 de junho, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de maio. A variação acumulada nos últimos 12 meses ficou em 4,78%. Somado o aumento real de 1%, acordado na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos financiários, o reajuste da categoria será de 5,83% no salário e nas demais cláusulas econômicas.

“Sabemos que os trabalhadores merecem muito mais, mas, na atual conjuntura, temos que comemorar um reajuste com aumento real de 1% em todas as cláusulas econômicas”, afirmou Jair Alves, dirigente da Contraf-CUT que coordena a representação dos trabalhadores na mesa de negociações com a Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Fenacrefi).

O reajuste é uma conquista da Campanha Nacional realizada em 2018, quando foi firmado um acordo, com validade de dois anos, que assegurou o aumento real de 1% para 2019.

PLR

A primeira parcela da Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) pode ser paga até o dia 20 de setembro. Pela regra básica, os trabalhadores têm direito a receber o valor referente a 90% do salário, mais um valor fixo de R$ 2.826,60. Além deste valor, há um adicional de 20% do valor fixo, que será de R$ 565,32.

Além da primeira parcelada da PLR, os funcionários do Itaú ligados às financeiras receberão os valores correspondentes ao Programa Complementar de Resultados (PCR).

O reajuste também incide sobre vales alimentação e refeição, gratificações e demais cláusulas econômicas da CCT da categoria (veja tabela abaixo).

 

 

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT