Em assembleia realizada na sexta-feira, 14, na sede do Sindicato, os funcionários do Bradesco autorizaram a entidade a renovar o Acordo Coletivo de Trabalho sobre o sistema alternativo eletrônico de controle de jornada com o banco.

A iniciativa ocorre com base na Portaria nº 1510, de 21/08/2009, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que disciplina a utilização dos meios eletrônicos para a marcação do ponto dos trabalhadores nas empresas.

A intenção é impedir as fraudes que ocorrem com as possibilidades de manipulação do registro de ponto eletrônico pelas empresas e a total perda de controle da jornada efetiva realizada por um trabalhador ao fim de um determinado período.

O controle da jornada é uma preocupação antiga do movimento sindical bancário e o acordo é fruto de debates entre os trabalhadores e o banco. O acordo assegura ao Sindicato, através de seus representantes, acompanhados de técnicos, a realizar reunião para exame do sistema eletrônico alternativo de controle de jornada de trabalho sempre que houver dúvida ou denúncia de que ele está em desacordo com a legislação ou com as normas acordadas.

Em caso de negativa do banco ou se, após a reunião, não se dissipar a dúvida ou for constatada irregularidade, o Sindicato poderá denunciar o acordo, antecipando o prazo final de vigência para 30 dias a contar da notificação ao banco. Caso isso ocorra, o Bradesco fica sujeito às multas legais.

Para o funcionário do Bradesco e diretor do Sindicato, Leonardo Marques, o acordo permite o acompanhamento e uma fiscalização mais efetiva por parte do Sindicato, e os trabalhadores também devem se mobilizar. “Temos que ressaltar a importância dos funcionários do Bradesco nessa fiscalização. Qualquer caso de descumprimento da jornada de trabalho ou de pressão praticada por gerentes ou regionais para a compensação de horas deve ser denunciado ao Sindicato para que possamos agir prontamente”, afirmou.

Compartilhe: