Os funcionários do Santander de Minas Gerais realizaram, nesta quarta-feira, 22 de maio, na sede do Sindicato, seu Encontro Estadual. No evento promovido pela Fetraf-MG, os dirigentes sindicais debateram questões específicas do banco para elaborar propostas que serão levadas ao Encontro Nacional, nos dias 4 e 5 de junho em São Paulo.

No Encontro desta quarta-feira, foram apresentados e debatidos os resultados gerais do banco, que continua fechando postos de trabalho, mesmo com o crescimento no número de agências e com o lucro bilionário de R$ 1,519 bilhões obtido no primeiro trimestre de 2013. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o Santander demitiu, somente no três primeiros meses deste ano, 878 funcionários.

Os representantes dos trabalhadores ressaltaram a falta de soluções por parte do banco e as tentativas de intimidação promovidas pelo Santander contra o movimento sindical, inclusive com processos judiciais contra entidades sindicais do estado de São Paulo.

Diversos outros temas também foram debatidos pelos funcionários do banco durante o Encontro: plano de aposentadoria, realização de eleições democráticas no banco, Previ, plano de saúde, manutenção da assistência na aposentadoria, condições de trabalho, fim do assédio moral e das metas abusivas, instalação de portas de segurança antes do autoatendimento, contratações, emprego e remuneração, Plano de Cargos e Salários (PCS), entre outros.

Para o funcionário do Santander e diretor do Sindicato, Davidson Siqueira, o Encontro Estadual é fundamental para a organização dos funcionários contra o descaso do banco. “Este é um momento em que podemos discutir questões específicas e os problemas apresentados pelos funcionários para elaborarmos propostas e, no próximo mês, nossa pauta de reivindicações no Encontro Nacional. A participação dos funcionários permite nos organizarmos para lutar contra o desrespeito e a intransigência do Santander e garantir novas vitórias”, afirmou.

Compartilhe: