Foto: Jailton Garcia – Contraf-CUT

 

O Grupo de Trabalho (GT) de Saúde e Condições de Trabalho do Itaú voltou a se reunir, nesta quarta-feira, 18, para discutir o Programa de Readaptação instituído pelo banco sem a participação do movimento sindical. A diretora de Saúde do Sindicato, Luciana Duarte, participou da reunião.

A cláusula 45ª da Convenção Coletiva de Trabalho assegura a instituição de programas de retorno ao trabalho em conjunto com o movimento sindical, banco a banco. Sendo assim, os representantes dos funcionários entregaram ao Itaú uma proposta de mudança para o Programa de Readaptação, com a inclusão de cláusulas que garantem a proteção do trabalhador.

Dentre as propostas, o movimento sindical reivindica que a avaliação do trabalho do funcionário que retorna seja diferenciada. Isto em razão de que o trabalhador teve sua capacidade laborativa reduzida e necessita de um tempo para se readaptar à nova realidade.

Foi debatida ainda a cláusula 29ª da CCT. A proposta do movimento sindical é o parcelamento da dívida do funcionário quando estiver afastado. Atualmente, um dos problemas do endividamento dos trabalhadores é causado pelo sistema de entrega de documentação do banco na hora do afastamento. Por isso, os representantes dos funcionários cobraram que os bancários são sejam penalizados por esses erros.

Durante a reunião, os trabalhadores também apresentaram denúncias de suspensão do pagamento do auxílio cesta alimentação, garantido pela cláusula 15 da CCT, quando o INSS indefere o benefício.

O banco se comprometeu a analisar as questões e dar o retorno na próxima reunião, marcada para o dia 28 de novembro.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: