Foto: G1 / Arquivo pessoal

 

Em matéria publicada no último domingo, 10 de maio, o jornal O Globo deu destaque à pressão a que estão submetidos empregados e empregadas da CAIXA durante a pandemia. Com o título “Do outro lado da fila: bancários sofrem exaustão, temem se contaminar e recebem até ameaças”, a matéria fala do cansaço desses trabalhadores com a jornada exaustiva e do medo diante da pandemia.

O Sindicato, assim como outras entidades representativas dos trabalhadores, vem denunciando a situação e tem cobrado da direção da CAIXA, constantemente, uma série de medidas para proteger os empregados que estão na linha de frente do atendimento à população.

Entre as reivindicações, está a busca de solução para a aglomeração nas agências, com a contratação de empresa especializada para organizar as filas, e a descentralização do pagamento para outros bancos. Além disso, o fornecimento de Equipamento de Proteção Individual (EPI) e a manutenção do contingenciamento para entrada nas agências, mesmo com as filas na porta, e o respeito à jornada de trabalho.

Na matéria publicada pelo jornal O Globo, há o depoimento de bancários que relatam a dificuldade de compra de EPIs no mercado no início da pandemia e jornadas extenuantes de até 14h, com poucos minutos para almoçar. Uma das causas apontadas é a falta de empregados nas unidades, problema recorrente que é uma cobrança prioritária do movimento sindical.

Além disso, bancárias e bancários criticam os problemas relacionados ao aplicativo e ao site onde a população deve se cadastrar para receber o auxílio. Além da demora na análise dos pedidos, há muitas pessoas sem acesso à internet ou com falta de informações claras do governo que vão para as filas, gerando grandes aglomerações.

O Sindicato acompanha a situação nas unidades de trabalho e continua, juntamente com a Contraf-CUT e o Comando Nacional dos Bancários, cobrando ações efetivas para proteger os empregados e clientes.

Veja, aqui, o boletim “Nossa Luta É…” especial sobre a pandemia.

“Com o descaso do governo federal e a falta de informações, empregadas e empregados ficam expostos à contaminação e sofrem pressão diária nas agências durante o atendimento à população. O Sindicato está atento e segue cobrando medidas da CAIXA e do poder público para resolver a situação. Bancárias e bancários também devem denunciar os abusos imediatamente”, afirmou a presidente do Sindicato, que é empregada da CAIXA, Eliana Brasil.

Para denunciar, os trabalhadores podem entrar em contato com o Sindicato pelo telefone (31) 3279-2800 ou utilizar o serviço Fale Conosco. Em casos de assédio moral, bancárias e bancários podem utilizar também a ferramenta específica.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com O Globo

 

Compartilhe: