Após muita pressão dos planos de saúde de autogestão, do movimento sindical e dos trabalhadores, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) finalmente emitiu, em 6 de fevereiro deste ano, uma nota técnica propondo a alteração do artigo 2º da resolução normativa (RN 137) que permite a inclusão de parentes até 4º grau nas autogestões do país. Para José Adriano, diretor do Sindicato e conselheiro deliberativo eleito da Cassi, essa alteração, quando publicada, vai representar um importante avanço, uma vez que fortalecerá os planos.

“Com mais associados, as autogestões que têm foco na prevenção e promoção da saúde poderão ampliar sua rede credenciada e proporcionar uma melhor qualidade de vida aos participantes”, afirmou José Adriano.

Mobilização

Depois da intensa mobilização das autogestões, que contou com grande apoio da Contraf-CUT e da União Nacional de Autogestões (Unidas), foi criado um grupo de trabalho de revisão de normas para as operadoras deste segmento.

Esse é um importante passo de uma longa batalha contínua em defesa dos participantes e seus beneficiários.

Apesar de ser defensora intransigente do Sistema Único de Saúde (SUS), a CUT também defende que os trabalhadores e trabalhadoras tenham direito a planos de saúde e busca o fortalecimento da autogestão no país.

Compartilhe: