O boletim do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (Sindec)  divulgado na última sexta-feira, 13 pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça mostrou que a maior parte das reclamações dos consumidores aos Procons em 2011 concentrou-se nos segmentos financeiros e de telecomunicações. O Itaú foi o “campeão de queixas”. Dos 1,6 milhão de atendimentos registrados ao longo do ano, 81,9 mil foram relacionadas ao grupo Itaú, seguido pela Oi (80,8 mil), Claro-Embratel (70,1 mil) e Tim-Intelig (27,1 mil).

Há algum tempo o banco mantém o segundo posto entre os bancos mais reclamados na lista do Banco Central.  Apesar de ser o  banco que mais lucrou este ano –  foram R$ 10,9 bilhões somente nos nove primeiros meses o Itaú Unibanco demitiu mais de 4 mil funcionários em 2011, prejudicando  o atendimento aos clientes e usuários.

Entre os problemas enfrentados pelos consumidores estão as cobranças (35,46%), ofertas (19,99%), contratações (11,62%) e qualidade (11,19%).
As mulheres representam 54,69% das pessoas que procuraram os Procons em 2011. A maioria dos consumidores tem entre 31 e 40 anos. Os jovens até 20 anos somam 2,12%, o menor percentual registrado. Porém, é um número importante, pois representa mais de 22 mil jovens consumidores que conscientes de seus direitos procuraram os Procons.

 

Para o funcionário do Itaú e diretor do Sindicato, Kennedy Santos, o banco insiste em descumprir a legislação barrando quem não é cliente e encaminhando-os para pagamento de suas contas nas lojas de departamentos, farmácias e supermercados, os chamados correspondentes bancários. “A ganância do Itaú é tão grande que o banco está direcionando quem não é cliente para os correspondentes bancários e com isto cortando postos de trabalho para aumentar seu lucro que já é o maior da história das instituições financeiras. Além disso, penaliza os funcionários em relação aos resultados do Agir e à sobrecarga de trabalho, sendo que muitos extrapolam a jornada. Toda essa ganância desagrada a população que registra queixas nos Procons e no Banco Central.  O Sindicato, através dos seus diretores Kennedy Santos, Ramon Peres e Jacqueline Cardozo se reuniram nesta segunda-feira, 16 de janeiro, com o  RH – Relações Sindicais, Anderson Serra, para exigir explicações dos GSOs sobre as irregularidades do não atendimento aos consumidores de serviços bancários no Itaú”, ressaltou.

Compartilhe: