Nos próximos dias, estará disponível o alvará que autoriza a liberação de R$ 224.307,65 para ex-empregados do Bemge que receberam PLR entre os anos de 2000 e 2005. Este pagamento se refere às diferenças pela não inclusão da gratificação semestral na base de cálculo da Participação nos Lucros e Resultados. O valor vai ser dividido entre os 241 bancários que constam no cálculo de liquidação feito pelo banco.

O Sindicato esclarece que este valor é apenas uma parte do que está sendo reclamado no processo. Além dos 241 bancários que receberão um percentual dos seus créditos, o Sindicato estima que ainda faltam mais de 1.800 trabalhadores para serem incluídos nos futuros pagamentos a serem realizados pelo Itaú.

O Sindicato está questionando também os critérios utilizados pelo Itaú para chegar ao montante que será liberado nas próximas semanas. Segundo o Departamento Jurídico, o Itaú calculou a PLR pelas referências mínimas das Convenções Coletivas de Trabalho, ignorando o lucro líquido efetivo. O banco sonegou ainda recibos de pagamento de muitos bancários, o que impediu os peritos de apurarem o valor correto devido a cada trabalhador.

As questões que foram objeto de questionamento pelo Sindicato ainda estão pendentes de julgamento na Justiça do Trabalho.

Assim que o alvará estiver disponível, o Sindicato entrará em contato com os bancários beneficiados para agendar o pagamento da parcela correspondente a cada um.

O Sindicato alerta aos seus filiados que não considerem qualquer tipo de contato ou correspondência além dos que são oficialmente prestados pela entidade. Há receio de que pessoas estranhas ao Sindicato possam transmitir informações incorretas ou obter vantagens indevidas.

Compartilhe: