A segunda rodada da Mesa Temática de Ascensão Profissional entre a Comissão de Empresa da Contraf-CUT e o Banco do Brasil foi realizada nesta quinta-feira, 17 de março, em Brasília, e contou com a participação de bancários de base convidados pelos sindicatos e federações.

O propósito da mesa foi ampliar o debate sobre ascensão profissional dentro do BB, com o objetivo de melhorar e dar mais transparência aos processos seletivos e garantir melhorias nas oportunidades de carreira.

O banco apresentou dados sobre os programas de ascensão, quantidade de nomeações e estatísticas sobre nomeação de mulheres nos cargos gerenciais e executivos, dados sobre nomeação envolvendo raça e pessoas com deficiência, além de melhorias solicitadas pelos funcionários na primeira rodada da mesa temática.

Sobre pessoas com deficiência (PCD), o banco apresentou como avanço em relação à última mesa um grupo de trabalho, foi constituído exclusivamente para debater a ascensão profissional das PCDs com a participação de vários funcionários com deficiência de diversas regiões do país.

O BB apresentou ainda algumas mudanças em andamento no sistema TAO e a construção de um painel de oportunidades em desenvolvimento para facilitar a visualização de vagas nas diversas funções, assim como dar mais transparência e publicidade aos processos seletivos.

Um dado importante apresentado pelo banco foi que, a proposta de nomeação, entre os 20 primeiros em todas as áreas do BB, solicitada pelos funcionários e implantada após uma mesa temática, teve o número de excepcionalidades de nomeação fora dos 20 primeiros, caindo para 0,08% do total. O BB também divulgou que está trabalhando para ampliar a participação das Gepes nos diversos processos seletivos, conforme reivindicação dos trabalhadores.

Os funcionários cobraram do banco transparência nos processos em todas as situações, como no caso de vagas que aparecem da noite para o dia, sem tempo suficiente de publicidade. Os funcionários reivindicam um tempo mínimo para que a vaga fique em aberto e que se tenha mecanismos de alerta para quem está concorrendo a determinada vaga.

Foram cobradas ainda melhorias nos processos seletivos para todos os cargos e que as certificações tenham maior peso, de forma a ampliar os critérios e objetivos nas seleções internas.

Para Wagner Nascimento, diretor do Sindicato e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, a continuidade da mesa apresentou poucos, mas significativos avanços entre as reivindicações dos funcionários. “Esperamos que, ao final desta mesa temática, possamos apresentar um relatório bastante positivo que contemple melhoria nos processos de seleção dentro do BB. Novamente, foi muito positiva a participação de bancários de base de diferentes setores dentro banco, que deram sua contribuição para melhoria das seleções internas”, destacou.

Os representantes dos funcionários cobraram, mais uma vez, os feedbacks aos concorrentes em todas as seleções internas, inclusive aquelas feitas na própria unidade, como forma de se dar mais transparência e melhorar a qualificação dos não selecionados em futuras oportunidades de ascensão.

Alguns outros assuntos foram abordados e serão tratados em outras mesas, como a discussão sobre progressão horizontal, módulo básico e avançado para todos os cargos, além da discussão sobre criação de comissão específica para a carteira rural nas agências Estilo.

Os representantes dos bancários também abordaram o código de ponto de greve e o assédio nos processos de nomeação. O assunto será debatido com profundidade na mesa temática de resolução de conflitos, que será instalada no próximo mês.

A mesa temática de ascensão profissional terá mais uma rodada em data a ser definida. O objetivo é que seja apresentado um relatório dos debates e das soluções propostas que serão implementadas para melhoria dos processos seletivos.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: