Foto: Agnaldo Ferreira de Azevedo

Foto: Agnaldo Ferreira de Azevedo

Na rodada de negociações da Cassi realizada nesta segunda-feira, 1º de agosto, as entidades representantes dos funcionários da ativa e aposentados do BB cobraram novamente do banco medidas emergenciais para reforço de caixa na Cassi, bem como proposta que envolva a sustentabilidade do plano.

As entidades resgataram a fala do banco em mesas anteriores, de que não haveria falta de recursos para pagar prestadores, cobraram um posicionamento sobre a antecipação dos recursos do SiBet e também o andamento dos projetos de ações estruturantes.

Sobre a questão de não deixar faltar recursos, o BB afirmou que tem procurado estudar todas as possibilidades, como foi a antecipação do 13º solicitada pelos representantes dos funcionários na mesa de negociações.

Para Wagner Nascimento, diretor do Sindicato e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, a situação é crítica e exige respostas mais concretas. “Não queremos que a Cassi deixe de pagar prestadores, o que agravará os problemas de atendimento aos funcionários, aposentados e seus dependentes”, afirmou.

O banco informou que foi creditado um valor de R$ 5 milhões referente a despesas de ressarcimento de PAS e outras rubricas, recursos que já foram tratados na mesa de negociação e cujo repasse de outros valores também já foi feito anteriormente.

Sobre a antecipação do SiBet e outras formas de antecipação, o BB informou que ainda não tem segurança acerca dos riscos contábeis e jurídicos dessas operações, mas que continua estudando as medidas.

O banco solicitou um tempo de cerca de duas semanas para concluir os estudos em andamento, quando apresentará mais respostas à mesa de negociação.

Nova rodada está prevista para meados do mês de agosto, em data a ser definida nos próximos dias.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: