Nesta quarta-feira, 27, representantes da categoria e a Fenaban voltaram a se reunir, em São Paulo, para a realização da Mesa Temática de Igualdade de Oportunidades. O principal assunto abordado foi PCD (Pessoas com Deficiência).

O banco apresentou o Programa de Valorização da Adversidade, com foco específico nas pessoas com deficiência. Com base nesta apresentação, foram apontados os números do ano de 2008 (I Censo da Diversidade), quando PCDs correspondiam a 1,8% da categoria, e de 2014 (II Censo da Diversidade), quando eram 3,6%. Em 2016, segundo a Febraban, este número passou a ser 4%. Segundo a avaliação da própria Febraban, os dados representam um avanço na inclusão de PCDs no sistema financeiro.

Após a apresentação, os representantes dos bancários abordaram a questão da contratação, da ascensão profissional e acessibilidade. Os trabalhadores ressaltaram que os dados apresentados pelo banco ainda estão aquém das expectativas e que, mesmo com a evolução, os bancos poderiam contratar mais pessoas com deficiência, além de oferecer melhores condições de trabalho, em relação à acessibilidade interna e ergonomia, assim como de ascensão profissional.

Próxima reunião

A próxima reunião da Mesa Temática de Igualdade de Oportunidades ocorrerá em novembro deste ano.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: