Em resposta a uma série de ofícios do movimento sindical cobrando posicionamento da CAIXA por causa de problemas nos locais de trabalho em meio à pandemia do coronavírus, o banco respondeu que, atualmente, não há recomendação formal de retorno dos empregados que estão em home office.

Situações pontuais de retorno ocorrem quando estritamente necessário para dar suporte ao atendimento nas agências, visto tratar-se de serviço essencial à sociedade.

A CAIXA publicou este esclarecimento:

À
CONTRAF
Prezados Senhores,
1.    Em atenção ao Ofício 104/2020 e 115/2020 do Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, Ofício 52/2020 do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região, Ofício 122/2020 e Ofício 138/2020 do Sindicato de Brasília, Ofício 01/2020 SINTRAFI, Ofício 139/2020, 151/2020, 152/2020 e 154/2020 da APCEFSP tecemos os esclarecimentos a seguir:
2.     Importante registrar inicialmente que não há recomendação formal de retorno dos empregados. Situações pontuais de retorno ocorrem quando estritamente necessário para dar suporte ao atendimento nas agências, visto tratar-se de serviço essencial à sociedade.
3.     Esclarecemos que a CAIXA tem como prioridade a saúde dos seus empregados e a observância das orientações e protocolos emitidos pelas organizações de saúde.
4.     A CAIXA informa que se mantém engajada em colaborar com medidas de estímulo à economia, realizando o maior programa de inclusão social, financeira e digital do Brasil, prestando serviço essencial à população brasileira através do pagamento do Auxílio Emergencial, buscando com isso, amenizar os impactos na vida dos cidadãos brasileiros que sofrem os efeitos econômicos da pandemia da COVID-19 (Coronavírus), onde 1 em cada 3 brasileiros maior de 18 anos é beneficiário do Auxilio Emergencial.
5.     A CAIXA está executando esta política pública, sendo referência em prevenção à saúde no setor, cuidando de seus empregados, colaboradores e clientes, seja na oferta de soluções, definição de protocolos de prevenção e aquisição de Equipamentos de Proteção individual, indo muito além das orientações do Ministério da Saúde e Organização mundial da Saúde (OMS), onde podemos citar como exemplo:
·         Criação de Protocolo de atuação para Gestores, quando da identificação de casos na unidade, incluindo teste para empregados contatantes;
·         Ações de higienização das unidades;
·         Álcool gel e máscaras (fomos o 1º. Banco a comprar máscaras para todos os empregados);
·         Proteção Facial (faceshield) e máscaras para os empregados que atuam no autoatendimento;
·         Proteção de acrílico em todos os guichês de agências, assim como nos balcões;
·         Demarcação do piso fora da agência, para garantir o distanciamento social;
·         Contratação de mais de 4.600 vigilantes para atuação fora da agência, para orientação e organização de filas;
·         Contratação de mais 296 empregados e 280 recepcionistas
·         Liberação dos Estagiários e Adolescentes Aprendizes;
·         Solução de Teleorientação, Telemedicina e Telemonitoramento através do Plano de Saúde, ampliando os cuidados com a saúde dos empregados;
·         Reembolso ou cobertura do teste do COVID-19 no Plano de saúde, conforme regras da ANS;
·         Antecipação da Campanha de Vacinação, ou oferta de reembolso;
·         Manutenção da maioria dos empregados em Trabalho Remoto (home office);
·         Criação de canal de comunicação específico, assim como site interno com informações;
·         Comunicação contínua de esclarecimentos;
·         Entre inúmeras outras ações adotadas pela CAIXA.
6.     Esclarecemos ainda que todos os empregados do grupo de risco definido pelo Ministério da Saúde, além de grupo de prevenção ampliado, como gestantes, lactantes, PcDs e pais com filhos PcD, foram liberados prioritariamente para o trabalho remoto, indo muito além do preconizado pela Organização Mundial de Saúde.
7.     Ao longo dos últimos meses, todas essas ações foram adotadas com o acompanhamento e conhecimento dos representantes dos empregados, em reuniões com representantes dos empregados, em rodadas na FEBRABAN.
8.     A estratégia adotada pela CAIXA é conciliar a necessidade de atendimento à população, garantindo a prestação de serviços essenciais, com medidas para resguardar a saúde das equipes, colaboradores e clientes, seguindo os protocolos de Saúde e Segurança no Trabalho do Ministério da Saúde.
9.     As agências da CAIXA seguem funcionando para atendimento presencial apenas para serviços sociais essenciais, de acordo com o Decreto 10.282/2020, excepcionalmente estamos atendendo exclusivamente os seguintes serviços:
– Saque do Auxílio Emergencial;
– Saque de Benefício de INSS sem cartão e senha;
– Saque sde FGTS sem cartão e senha;
– Saque de Seguro Desemprego ou Defesa sem cartão e senha;
– Saque de Bolsa Família sem cartão e senha;
– Liberação do PIS/Abono sem cartão e senha;
– Desbloqueio de cartão de Cartão e senha;
– Saque de Conta Salário e Conta Corrente/Poupança com crédito de Salário sem cartão e senha;
– Pagamento de prêmios de Loteria;
– Pagamentos de RPV e Precatórios;
– Fundo de Financiamento estudantil – FIES.
10.  A CAIXA continua acompanhando a situação, a fim de avaliar medidas futuras que podem ser tomadas em decorrência da evolução dos acontecimentos.
11.  Ademais, ressaltamos que a CAIXA encontra-se em negociação coletiva com as entidades representativas, para a renovação dos Acordos Coletivos para essa data-base, oportunidade de tratarmos esse tema, vez que é parte integrante da pauta de reivindicações.
12.  Permanecemos à disposição para outros esclarecimentos e solicitamos dar conhecimento dessa resposta aos sindicatos das bases dessa confederação.
Atenciosamente
Mychelly Rodrigues Braga
Gerente Executiva
GN Relações Trabalhistas
João Acácio Pereira
Gerente Nacional
GN Relações Trabalhistas
Compartilhe: