Foto: Marcos Alvarenga

12 de janeiro- Dia Nacional de Luta chamou a atenção para os problemas enfrentados – Foto: Marcos Alvarenga

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), assessorada pela Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), retoma nesta terça-feira, 24 de janeiro, a mesa de negociação permanente com o banco público. A primeira reunião de 2017 acontece no momento em que aumenta o descontentamento dos trabalhadores com as medidas arbitrárias adotadas pela direção da empresa, que visam o seu desmonte e precarizam as condições de trabalho. A presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, participa da reunião.

A continuidade da reestruturação, o fechamento de agências ditas deficitárias pela lógica exclusiva dos mercados, as agências digitais e a verticalização da rede que ameaça tirar funções das agências e precarizar ainda mais o atendimento à população e as condições de trabalho são partes da estratégia para desmonte do papel social da CAIXA.

Além desses pontos estará em debate também os Grupos de Trabalho sobre descomissionamento e caixa minuto. A CAIXA apresentará uma proposta de revisão do RH184. “Existem avanços frente à situação de hoje, mas ainda não é o que queremos e vamos lutar para melhorá-la. Vamos continuar cobrando a adoção das outras propostas construídas pelos empregados e suas entidades representativas”, afirmou Dionísio Reis, coordenador da Comissão Executiva.

No dia 12 de janeiro, quando o banco completou 156 anos de fundação, os trabalhadores realizaram um Dia Nacional de Luta em todo o pais contra os descomissionamentos sem critérios e outras situações existentes na CAIXA, que favorecem o assédio moral e a desvalorização dos empregados.

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT e Fenae

Compartilhe: