caixa_8set

Foto: Alessandro Carvalho

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), assessorada pela Comissão Executiva dos Empregados (CEE), encaminhou ofício nesta terça-feira, 6, à direção da CAIXA contestando comunicado interno enviado aos empregados no primeiro dia de greve dos bancários. Para os representantes dos trabalhadores, o documento tem por objetivo reprimir a mobilização na empresa.

No ofício, Contraf-CUT e CEE/Caixa destacam que “a greve é um direito legítimo dos trabalhadores, assegurado pela Constituição Federal e qualquer medida para reprimi-lo constitui uma prática antissindical e, portanto, condenada pelas entidades representativas dos trabalhadores”.

No comunicado, o banco alega que o “contexto econômico exige ainda mais responsabilidade” e ainda que, de acordo com analistas, o retorno do crescimento da economia ocorrerá apenas em 2017.

Os trabalhadores ressaltam que o banco não pode atrelar a situação do país à proposta rebaixada e defendem a manutenção da CAIXA 100% pública.

No ofício, a Contraf-CUT e a CEE enfatizam que “a defesa da Caixa 100% pública tem sido prioridade para os trabalhadores do banco, que lutam contra o seu enfraquecimento e reivindicam que continue sendo protagonista do desenvolvimento econômico e social do país, a exemplo do que ocorreu nos últimos 12 anos. Os empregados da Caixa têm lutado por um banco cada vez mais forte e estratégico para o Brasil, oferecendo crédito aos cidadãos, estimulando o consumo e produção e, consequentemente, o crescimento da economia”.

Clique aqui e confira o ofício na íntegra.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Fenae

Compartilhe: