Neste momento de pandemia de Covid-19, quando as entidades estão empenhadas para a proteção dos trabalhadores, como a Contraf-CUT e sindicatos filiados, e o governo federal segue trabalhando contra, surgem oportunistas para lograrem êxito e fama de algo que não fizeram.

A Contraf-CUT conseguiu, após exaustivas reuniões com a Fenaban e Banco Central, que os bancos adotassem medidas preventivas para mitigar o risco de contaminação do coronavírus junto aos bancários e seus familiares. Entre as medidas já adotadas, estão a redução do horário de atendimento nas agências, afastamento de bancários e bancárias com doenças crônicas e pertencentes ao grupo de risco, compromisso de alguns bancos, como o Itaú e Santander, em não demitir bancários durante a pandemia e outras mudanças.

Porém, algumas pessoas e entidades, querendo colher os louros das negociações do Comando Nacional dos Bancários, como o governador de São Paulo, João Dória, e, mais recentemente, uma Associação ligada aos funcionários do Banco do Brasil, se manifestam como sendo agentes de tais compromissos que os bancos firmaram com a Contraf-CUT.

Pela verdade dos fatos, é importante que estes oportunistas sejam apontados e que se retratem perante a sociedade e a categoria bancária.

Luta do Sindicato e do Comando Nacional já garantiu diversas medidas dos bancos contra a pandemia

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região

 

Compartilhe: