Foto: Arquivo Sindicato

O segundo dia da 16ª Conferência Nacional dos Bancários teve início, na manhã deste sábado, 26, com um painel sobre as conjunturas nacional e internacional, contando com a participação de Márcio Monzane, da UNI Global, e do deputado estadual Luiz Claudio Marcolino (PT). Durante os debates, foram tratadas questões como a situação europeia atual, o desenvolvimento dos BRICS e o cenário econômico brasileiro.

Márcio Monzane realizou a apresentação sobre a conjuntura internacional e analisou a atual situação europeia e da política de austeridade fiscal naquele continente, que tem retirado direitos dos trabalhadores e benefícios sociais. “O que vemos é que a atual geração de jovens europeus é chamada de geração perdida, sem emprego, sem boa educação e que, consequentemente, não terão benefícios sociais quando chegarem à terceira idade”, afirmou.

Segundo Márcio, na Europa se vê hoje o crescimento e radicalização da extrema direita. “Pela primeira vez na história, mais de 100 parlamentares que compõem o Parlamento Europeu têm posições nacionalistas. Na França, a Força Nacional, que representa a extrema direita, conseguiu 25% dos votos. Na Inglaterra, pela primeira vez na história, a extrema direita foi a que conseguiu mais votos e o mesmo se observou na Dinamarca, com 25% dos votos”, explicou.

Em seguida, o líder da UNI Global fez uma análise sobre cada um dos países que compõem os BRICS: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Márcio observou que estes países têm grande influência mundial e regional e que o Brasil se apresenta, entre eles, como a democracia mais sólida. “O Brasil liderou a recuperação da credibilidade destes países no G20 através do presidente Lula. Hoje somos a 6ª maior economia do mundo e somos o país que apresentou o maior processo de inclusão social da história do capitalismo, com mais de 30 milhões de pessoas tendo sido incluídas no mercado de consumo nos últimos anos. Além disso, apesar de um crescimento relativamente lento, o Brasil é o país que apresenta o crescimento mais consistente e sustentável”, afirmou.

Márcio também realizou breves análises sobre os movimentos observados, nos últimos anos, nos países árabes e sobre o conflito entre Israel e Palestina.

Já o deputado estadual Luiz Claudio Marcolino (PT), fez um panorama sobre a conjuntura econômica do Brasil e ressaltou a importância da luta dos bancários. “Hoje, o Brasil realiza grandes investimentos em programas sociais, ao mesmo tempo em que mantém um patamar elevado de reservas internacionais, que ajudam o país a passar pelas crises mundiais. Nosso país demonstrou que tem uma economia sólida e, por isso, os banqueiros não têm desculpa para não atender as reivindicações da categoria bancária”, destacou.

Marcolino também afirmou que os governos Lula e Dilma trouxeram a redução do desemprego e o crescimento dos empregos formais, assim como o crescimento do salário mínimo acima da inflação. “Não podemos voltar atrás, para um país do desemprego, um Brasil que não tinha olhar para as questões sociais. Temos que lutar para que os trabalhadores continuem vencendo e garantindo cada vez mais direitos”, concluiu.

Compartilhe: