O Sindicato saúda bancárias e bancários brasileiros, neste 28 de agosto, pelo seu dia. Em meio a mais uma Campanha Nacional, a categoria segue dando exemplo de união, organização e força em todo o país.

A história do 28 de agosto representa um marco na luta e na mobilização da categoria bancária, que é a única a possuir uma Convenção Coletiva nacional. É importante lembrar que, nesta data, em 1951, foi realizada, no então cine Odeon, em São Paulo, uma assembleia dos bancários paulistas, que tentavam negociar com os banqueiros reajuste de 40%, salário mínimo profissional e adicional por tempo de serviço.

A categoria já havia realizado algumas paralisações entre 12 de julho e 2 de agosto. Como os patrões mantinham-se intransigentes, os bancários decidiram em assembleia deflagrar a greve. Foram 69 dias de paralisação, durante os quais os bancários foram duramente reprimidos – alguns presos e espancados. Mas a categoria conseguiu reajuste de 31%.

A greve de 1951 foi a primeira contra o decreto 9.070 da ditadura do Estado Novo, que proibia greves e amordaçava o movimento sindical dos trabalhadores. Foi um movimento pela liberdade sindical, em favor da democracia, contra os “atestados de ideologia” exigidos pelo Ministério do Trabalho dos candidatos a cargos sindicais, pela participação dos sindicatos na fiscalização das condições de trabalho e emprego, pela eleição de representantes dos bancários para a direção dos antigos Institutos de Aposentadorias e Pensões (o atual INSS) e pela participação dos sindicatos na fiscalização e elaboração das leis trabalhistas.

A volta ao trabalho não foi fácil. Muitos bancários foram demitidos, mas a greve foi vitoriosa por resultar em conquistas para a categoria e porque derrubou uma lei antigreve do governo Eurico Gaspar Dutra. Além disso, lançou as bases do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), criado em 1955.

A data começou a ser comemorada já no ano seguinte, em 1952, por decisão do IV Congresso Nacional dos Bancários, realizado em Curitiba. Em 1957, a Assembleia Legislativa oficializou a data no Estado de São Paulo e, em 1959, o Congresso Nacional estendeu a data para todo o Brasil ao aprovar projeto do deputado federal bancário Salvador Romano Lossaco.

Mais uma vez, o Sindicato parabeniza bancárias e bancários pelo seu dia e por sua luta incansável e vitoriosa.

Compartilhe: