Na quarta-feira da próxima semana, 25, a partir das 20h, o Comitê Nacional em Defesa da Caixa 100% Pública promove um “tuitaço” contra a proposta de abertura de capital do banco. A finalidade é de que, nesta data, empregados da instituição, dirigentes de entidades do movimento sindical e associativo e todos os brasileiros que apoiam a causa postem no Twitter mensagens utilizando a hashtag #DilmanãovendaaCaixa. Para ampliar a mobilização, a mesma hashtag pode ser usada em outras redes sociais, como Facebook e Instagram.

A realização de mais essa mobilização foi definida durante a primeira reunião do Comitê Nacional, realizada em 6 de março em Brasília (DF). O fórum é integrado pela Fenae, Contraf, CUT, CTB, Intersindical e CSP-Conlutas. A meta é colocar esse assunto entre os mais comentados do Twitter e movimentar outras redes.

Fabiana Matheus, coordenadora da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), espera que o “tuitaço” entre para a história tal como o Dia Nacional de Luta, que ocorreu em 27 de fevereiro. “Naquela data, milhares de trabalhadores do banco postaram fotos com o cartaz “Eu defendo a Caixa 100% pública”. Além disso, dezenas de atos e seminários estão sendo realizados país afora. No dia 25 de março, é hora de reforçamos a nossa posição: a abertura de capital não interessa ao Brasil e aos brasileiros”, ressalta.

Novas mobilizações

Na reunião do último dia 6, o Comitê Nacional em Defesa da Caixa 100% Pública definiu uma série de ações. Na questão organizativa, a prioridade será a criação de comitês estaduais, com prazo-limite até 20 de março, e a realização de encontros abertos para envolver a sociedade no debate. Já na área da comunicação, além do “tuitaço”, ficou definido que o fórum produzirá materiais específicos para informar, entre outros, empregados do banco, clientes, movimentos sociais, gestores e parlamentares.

Já na etapa de mobilização, além do pedido de audiência com Miriam Belchior, será agendada uma data para o envio de e-mails a fim de pressionar parlamentares do Congresso Nacional, das Assembleias Legislativas e das Câmaras de Vereadores. Também será divulgado um manifesto com assinaturas de intelectuais e personalidades nacionais. Outra ação importante será o acompanhamento da agenda de Dilma Rousseff e da presidenta da CAIXA, para realizar manifestações em defesa da CAIXA 100% pública.

Compartilhe: