O Bradesco anunciou, no dia 1º de fevereiro, que vai pagar a segunda parte da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) na próxima sexta-feira, 8. Porém, ao contrário do ano passado, o banco informou que o valor não atingirá 2,2 salários, mesmo com seus enormes lucros que chegaram a R$ 11,5 bilhões em 2012.

A regra básica da PLR estabelece o pagamento de 90% do salário mais uma parcela fixa de R$ 1.540 com teto de R$ 8.414,34, descontada a antecipação já ocorrida de 54% do salário mais uma parcela fixa de R$ 924, limitada a R$ 5.408,60.

Conforme a convenção coletiva, a regra básica deve ser majorada até a distribuição de 13% do resultado, com teto de 2,2 salários ou R$ 18.511,54, o que ocorrer primeiro.

De acordo com o Dieese, o elevado Provisionamento para Devedores Duvidosos (PDD) do Bradesco, que cresceu 27,1% no ano passado, chegando a R$ 13.014 bilhões, contribuiu para que os pagamentos da PLR e do adicional ficassem abaixo dos tetos.

Para o funcionário do Bradesco e diretor do Sindicato, Carlos Augusto Vasconcelos, é absurda a postura conservadora do banco, já que o ano de 2012 se encerrou com taxa de inadimplência de 4,1%, muito menor que o PDD do banco. “O alto Provisionamento contribuiu para a queda no valor da PLR e os funcionários não receberão 2,2 salários, mesmo com os grandes lucros obtidos em 2012. Além disso, a administração do Bradesco afirma que o banco crescerá organicamente, o que sabemos que significa ainda mais exploração dos funcionários para atingir metas”, afirmou.

A parcela adicional da PLR a ser paga pelo Bradesco, que corresponde à distribuição linear de 2% do lucro entre todos os funcionários, com teto de R$ 3.080, será de R$ 2.794 para cada bancário.

Isenção do IR

No pagamento, os bancários serão beneficiados pela primeira vez com a nova tabela de Imposto de Renda sobre a PLR. Pela nova regra, quem recebe até R$ 6 mil ao ano de PLR fica isento de IR e os descontos são progressivos a partir desse valor, mas todos pagarão menos imposto.

Clique aqui para ver a tabela das faixas salariais.

Nos ganhos até R$ 10 mil, o desconto do imposto cai de R$ 1.993,47 para R$ 375. Para quem recebe até R$ 15 mil, o IR cai de R$ 3.368,47 para R$ 1.338,75. E para a PLR de R$ 20 mil, o desconto que era de R$ 4.743,47, vai para R$ 2.704,37.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT e Sindicato dos Bancários de São Paulo

Compartilhe: