Nesta quinta-feira, 6 de abril, o Sindicato levou a “Porta do Inferno” até a agência Baronesa da CAIXA, no município de Santa Luzia. A Porta é utilizada para chamar a atenção da população e mostrar, de forma lúdica, o verdadeiro “inferno” imposto aos trabalhadores pelas medidas tomadas por Michel Temer.

Na pauta do desmonte, estão as reformas da Previdência e trabalhista, a terceirização sem limites e o enfraquecimento dos bancos públicos. No Congresso Nacional, parlamentares da base do governo já aprovaram o projeto que permite a terceirização de todas as funções nas empresas e tentam acelerar a tramitação das reformas que destruirão direitos conquistados.

Além disso, projetos de reestruturação, programas de demissão voluntária e a intenção de diminuir o papel da CAIXA e do Banco do Brasil trazem grande prejuízos para bancários, clientes e usuários dos serviços destes bancos públicos.

Diante das ameaças, o Sindicato permanece nas ruas, todos os dias, levando a “Porta do Inferno” a diferentes agências bancárias para denunciar aqueles que estão contra os trabalhadores.

No dia 28 de abril, diversas categorias e movimentos sociais realizarão uma grande Greve Geral para dizer não ao retrocesso.

Compartilhe: