A direção da CAIXA adiou para 30 de agosto o prazo para a inscrição de candidatos para representar os trabalhadores no Conselho de Administração da empresa. O período para os empregados terminava na última sexta-feira, 7.

Entre as ilegalidades cometidas pelo banco está o descumprimento do artigo 2º item 1º da portaria nº 26 que regulamenta a Lei nº 12.353 de 28 de dezembro de 2010 que estabelece: “O representante dos trabalhadores será escolhido dentre os empregados ativos da empresa pública ou sociedade de economia mista, pelo voto direto de seus pares, em eleição organizada pela empresa em conjunto com as entidades sindicais que os representem.”

A CAIXA agendou a eleição sem concluir as negociações com a Comissão Executiva dos Empregados e constituiu uma Comissão Eleitoral sem representante do movimento sindical.

O principal motivo dos trabalhadores em não concordar com o pleito foi o fato de a empresa ter colocado barreiras para as candidaturas, o que exclui cerca de 80% do quadro de trabalhadores. Entre os pré-requisitos para o candidato, impostos pelo banco, estão ter exercido cargos gerenciais nos últimos cinco anos, ou ter ocupado cargos relevantes em órgãos ou entidades da administração pública por, no mínimo, dois anos e ser graduado em curso superior.

Assine o abaixo-assinado contra o PL

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com SEEB SP

Compartilhe: