Em reunião realizada nesta terça-feira, 2 de fevereiro, com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), a representação dos bancários cobrou dos bancos a retomada do teletrabalho e maior rigidez dos protocolos de saúde e segurança para enfrentar o agravamento da pandemia. Para os representantes da categoria, essas e outras medidas protetivas são fundamentais enquanto os trabalhadores não recebam a vacina.

A tragédia em Manaus e a possibilidade de a nova cepa do coronavírus se espalhar para além da região Norte do país foram a referência das discussões entre o Comando e a Fenaban. “A população é vítima da ausência de gestão do governo federal e de um ministro da Saúde que não faz nada para combater a pandemia. Queremos que o governo providencie vacina para todo mundo. Por causa desse atraso, precisamos também colocar a categoria bancária como um setor essencial no calendário de vacinação. Tivemos aglomerações nas agências e isso é um dos fatores de risco. Depois dos grupos prioritários a serem vacinados, queremos que a categoria seja incluída pelo Ministério da Saúde como um dos setores essenciais no calendário da vacina”, afirmou a coordenadora do Comando Nacional e presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira.

Por causa do agravamento da pandemia, o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban concordaram em fazer reuniões regulares para discutir as medidas de proteção da categoria.  A reunião desta terça-feira ocorreu após relatos de retorno ao trabalho presencial de bancárias e bancários de grupo de risco e daqueles que estavam em teletrabalho

Os representes da Fenaban disseram que atualmente metade da categoria está em teletrabalho e que vão fazer uma discussão na entidade sobre a manutenção de trabalhadores em trabalho remoto. A representação dos trabalhadores pediu que os bancos sejam mais criteriosos no controle da doença, principalmente na realização de testes em suspeitos de contaminação.

O presidente do Sindicato, Ramon Peres, lembrou que desde o início da pandemia os representantes dos bancários não têm medido esforços para garantir a saúde de todos. “Com muita luta e disposição temos obtido conquistas importantes em defesa da vida das bancárias e dos bancários e continuaremos firmes desenvolvendo esse nosso trabalho”, ressaltou.

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: