Representantes dos bancários retomam nesta semana, com a Fenaban, as mesas temáticas de Saúde do Trabalhador. A primeira reunião, marcada para esta quinta-feira, 25, discute a questão do adoecimento da categoria. O grupo de trabalho bipartite tem a função de analisar as causas dos afastamentos dos empregados do ramo financeiro, conforme a Cláusula 62ª da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Na segunda reunião, que ocorrerá nesta sexta-feira, 26, os bancários irão avaliar o Instrumento de Combate ao Assédio Moral, previsto na cláusula 56ª da CCT.

Os trabalhadores já haviam cobrado, na última mesa, mais empenho dos bancos no combate ao assédio moral e às causas de afastamento. Foram denunciadas falhas no trânsito das informações encaminhadas, no retorno dado pelos bancos e na resolução dos casos.

Nesta quarta-feira, 24, representantes dos bancários se reuniram na sede da Contraf-CUT, em São Paulo, para discutir as demandas da negociação com a Fenaban. O mesmo ocorrerá na sexta-feira, pela manhã, antes da mesa sobre o Instrumento de Combate ao Assédio Moral.

Adoecimento

No ramo financeiro, as doenças relacionadas à saúde mental já superam as do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo, as chamadas LER/Dort. Em 2013, foram 18.671 afastamentos de bancários por problemas de saúde. Do total de auxílios-doença acidentários concedidos pelo INSS, 52,7% tiveram como causas principais os transtornos mentais e as doenças do sistema nervoso. Isso significa dizer que, de cada dez bancários doentes, cinco são por depressão.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: