Foto: Fenae

 

Os representantes dos empregados da CAIXA voltaram a reivindicar a suspensão do processo de reestruturação que o banco está implementando unilateralmente, em reunião com a direção do banco, realizada com nesta quinta-feira, 18, em Brasília.

Para as entidades que representam os trabalhadores, o processo de reestruturação em curso atua como uma caça às bruxas. A direção do banco, porém, se nega a fazer a suspensão e tampouco busca estabelecer critérios para a realocação, que levem em conta a valorização profissional.

Os trabalhadores afirmaram que o processo que a CAIXA denomina de “equalização da força de trabalho” é uma desestruturação do banco público, pois estão sendo esvaziadas áreas estratégicas que envolvem conhecimento e não é suprida a falta de empregados nas agências.

Empregados com experiência e saber especializado estão sendo transferidos e, consequentemente, as áreas estão perdendo conhecimento, como as áreas de habitação e TI.

Na mesa, a CAIXA manteve a posição de dar continuidade à realocação de empregados e se propôs a tratar as pontualidades destacadas pelo movimento sindical. Uma nova reunião ficou agendada para a próxima semana.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT e Fenae

 

Compartilhe: